Assassinato de missionário austríaco na África do Sul

Estrangulado por ladrões

| 3144 visitas

MATATIELE, África do Sul, quarta-feira, 3 de junho de 2009 (ZENIT.org).- O missionário de origem austríaca Ernest Plochi, da congregação dos Missionários de Mariannhill, foi assassinado neste sábado em sua missão de Mariazell, ao sul da África do Sul.

O superior provincial de sua congregação, Pe. Guy Cloutier, explica as circunstâncias de sua morte em uma carta que publicou na página web dos Missionários de Mariannhill depois de visitar a missão de Mariazell, situada a cerca de 400 quilômetros de Mthatha.

Ao parecer, no sábado à tarde, alguns jovens esperavam o missionário em seu domicílio para roubar-lhe o dinheiro que sabiam que havia tirado para pagar seus trabalhadores. 

Mas o Pe. Ernest Plochl lhes havia pago nessa mesma manhã do sábado. 

Ao voltar do almoço e da reunião comunitária à sua casa, os ladrões o empurraram ao escritório quando ele abria a porta e o obrigaram a abrir a caixa de segurança. 

Ao não encontrar a quantia de dinheiro que esperavam, foram contra ele, ataram-no e o estrangularam. 

O missionário tinha 78 anos e desenvolvia sua missão na África do Sul há mais de 40 anos. Atualmente administrava uma escola de 400 alunos na cidade de Matatiele. 

Os funerais acontecerão nesta sexta-feira pela manhã em sua missão de Mariazell, onde será enterrado, já que, segundo explica o superior provincial, esteve trabalhando nesse lugar a maior parte de sua vida. 

Também será celebrada uma Missa de sufrágio em sua cidade natal, Neumarkt-im-Muhlreis, onde a notícia de sua morte causou grande comoção. 

O Pe. Ernest Plochl é o terceiro sacerdote católico assassinado na África do Sul este ano. Segundo informa a agência Fides, este país registra uma das porcentagens mais altas de crimes violentos do mundo: como média, cada dia morrem 50 pessoas.