Assembleia do Clero reflete sobre Pastoral da Comunicação

Mais de 400 padres e bispos participaram do evento na Arquidiocese de Belo Horizonte

Belo Horizonte, (Zenit.org) | 459 visitas

O fortalecimento e a articulação da Pastoral da Comunicação (Pascom) foi um dos principais pontos de reflexão da Assembleia Geral do Clero, que reuniu mais de 400 padres e bispos da Arquidiocese de Belo Horizonte, no auditório da PUC São Gabriel. Informou a Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Belo Horizonte.

O Arcebispo Metropolitano, dom Walmor Oliveira de Azevedo, explicou que o tema foi escolhido diante do destaque dado pela IV Assembleia do Povo de Deus (APD) à comunicação nas bases, dos planos de pastoral de cada região episcopal, que fazem o mesmo, e por ser uma exigência fundamental assumida pela Igreja no Diretório Nacional para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a ser aprovado em breve.

“Pretendemos fortalecer a nossa rede de comunidades e qualificarmos a comunicação entre nós com a formação de opinião à luz dos valores do Evangelho. Assim,  as pessoas, conscientes de sua cidadania social e cristã, participarão de modo mais efetivo da construção da sociedade solidária e de sua comunidade de fé”, disse o arcebispo. Para concretizar esse projeto, segundo dom Walmor, é muito importante a capilaridade das paróquias. Mas, sobretudo, que os padres e evangelizadores, em cada comunidade, assumam junto com toda a Arquidiocese esse enorme desafio que pede uma ação articulada e sistemática, com a coragem de fazer investimentos.

A consolidação da Pascom conforme os novos moldes propostos, de acordo com o Arcebispo, depende da compreensão clara de como implantá-la e de poder contar com profissionais que têm a condição de assessorar a Igreja.  Tudo isso, aliado à boa vontade de cada sacerdote, de cada evangelizador, de cada agente de pastoral.

O desafio tecnológico na evangelização

Durante a Assembleia do Clero, as propostas iniciais para o fortalecimento da Pascom foram apresentadas aos sacerdotes pelo bispo-auxiliar dom Joaquim Giovanni Mol, que enfatizou a perspectiva estratégica da comunicação para a  evangelização, a  tecnologia  e a  importância das comunidades de fé e  paróquias como ponto de partida da comunicação.

Um dos maiores desafios, segundo dom Joaquim Mol, diz respeito à tecnologia, porque o problema não está no cerne da mensagem, que é a pessoa de Jesus Cristo, mas na forma que é apresentada. “Somos chamados a fazer da comunicação o meio de reconhecimento de Cristo como aquele que é o anunciador do novo, que conduz para o Pai e que está no centro de tudo”.

Dom Mol lembrou que acompanhar a tecnologia significa arcar com investimentos pesados, o que, ao  mesmo tempo, deve servir de estímulo  para o trabalho, pois é necessário passar os meio de comunicação da Arquidiocese para a digitalização e entrar de forma mais forte e significativa nas  redes sociais. “Esse caminho passa necessariamente pela conversão. Uma decisão que precisamos tomar de maneira séria e profunda, pois é muito importante no campo pastoral”, afirmou.

Também foram temas da Assembleia:

Os padres refletiram, ainda, sobre o  Manual dos Conselhos Pastorais, a Semana Missionária – tema apresentado pelo bispo-auxiliar dom João Justino- e a Pastoral Presbiteral, assunto conduzido pelo bispo-auxiliar dom Luiz Gonzaga e pelo padre José Conceição  Ramos.

A Coleta para a Jornada Mundial da Juventude no dia 26 de maio, Festa da Santíssima Trindade, e  as ordenações presbiterais e diaconais, dentro das comemorações dos 90 anos do Seminário Arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus, também foram temas do evento.