Atenção a idosos não é generosidade, mas gratidão, afirma Papa

Ao visitar um asilo no distrito londrino de Lambeth

| 987 visitas

LONDRES, sábado, 18 de setembro de 2010 (ZENIT.org) - A atenção aos idosos não é um ato de solidariedade, mas de gratidão, esclareceu Bento XVI neste sábado à tarde, ao visitar uma residência de repouso de idosos em Lamberth.

Nas palavras que o Pontífice dirigiu aos idosos, assim como às Irmãzinhas dos Pobres, que os atendem, qualificou as pessoas mais velhas como "uma bênção para a sociedade".

"Dado que os avanços médicos e outros fatores permitem uma maior longevidade, é importante reconhecer a presença de um número crescente de idosos como uma bênção para a sociedade", disse o Papa, ao explicar o motivo pelo qual havia incluído esta visita na agenda de sua peregrinação ao Reino Unido.

"Cada geração pode aprender da experiência e da sabedoria da geração que a precedeu. De fato, a prestação de assistência aos idosos deveria ser considerada não tanto como um ato de generosidade, mas a satisfação de uma dívida de gratidão", afirmou.

Aos idosos, o Papa apresentou como exemplo João Paulo II, quem "sofreu de forma muito notória nos últimos anos da sua vida".

"Todos nós tínhamos claro que ele viveu isso em união com os sofrimentos do nosso Salvador. Seu bom humor e paciência quando enfrentou seus últimos dias foram um exemplo extraordinário e comovente para todos nós, que devemos carregar o peso da idade avançada."

Depois, o próprio Bento XVI se apresentou como "um irmão que conhece bem as alegrias e fadigas que chegam com a idade".

"Nossos longos anos de vida nos oferecem a oportunidade de valorizar tanto a beleza do maior dom que Deus nos deu - o dom da vida - como a fragilidade do espírito humano."

"A nós, que temos muitos anos, foi dada a maravilhosa oportunidade de aprofundar no nosso conhecimento do mistério de Cristo, que se humilhou para compartilhar a nossa humanidade."

Os anos da velhice, assegurou, "constituem uma oportunidade para recordar, na oração afetuosa, todos aqueles a quem amamos nesta vida e de colocar o que fomos e fizemos diante da misericórdia e ternura de Deus".

A comunidade das Irmãzinhas dos Pobres, fundadas por Santa Jeanne Jugan, está presente neste bairro de Londres desde 1863, atendendo idosos.