"Através do abraço do Papa Francisco recebi fisicamente o abraço de Deus Pai"

Entrevista com Francesca Piersimoni, jovem cega da Renovação Carismática, que deu o seu testemunho de fé diante do Papa, no encontro deste domingo

Roma, (Zenit.org) Nicola Rosetti | 364 visitas

Emoção e alegria na convocação nacional da Renovação Carismática, em Roma, durante o encontro entre o Papa Francisco e mais de 50 mil membros do movimento. Muitos participantes disseram que o Santo Padre "com suas palavras maravilhosas, sua alegria e o testemunho de vida em Jesus, ‘alargou’ nossos corações". Entre eles Piersimoni Francesca, uma jovem cega da Diocese de San Benedetto del Tronto, que participa há anos da Renovação. No domingo (01), Francesca foi convidada pelos responsáveis nacionais a dar o testemunho, na frente do Papa Francisco, de seu encontro com a luz: Cristo. Eis a entrevista:

ZENIT: O que você sonhava em fazer quando era criança?

Francesca: Quando criança, eu sonhava em ser pintora. Aos 15 anos comecei a ter problemas nos olhos e acabei perdendo a visão. No início, ajudada pelos meus pais, amigos e membros da família, este problema parecia ter sido superado, mas quanto mais o tempo passava, mais eu sentia que não estava superado. Quando os meus amigos começaram a dirigir ou a namorar, eu me perguntei: "Como eu vou fazer tudo isso?". Na minha família se falava de um Deus que é amor: então, cresceu em mim espontaneamente a pergunta: "Se Deus é amor, por que eu sofro tanto?" Dia após dia, alguém notava esta minha dor interior. Uma senhora que me ajudava a estudar conversou com um jovem sacerdote, Don Marco Farina, da nossa paróquia de Cupra Marittima e ele motivou os jovens da Renovação a me convidar. Eu respondia não para tudo.

Um dia na Igreja, logo após a Santa Missa, ele desceu do altar, ainda paramentado, e me disse: "Posso ir a sua casa amanhã?". Não poderia recusar! Um caminho cheio de surpresas de Deus, mas também de luta, porque nem sempre é fácil carregar a cruz, aceitar que não é possível decidir por si mesmo, sempre ter que esperar por alguém para te acompanhar, que lhe dê condições de fazer o que você quer. No entanto, fui capaz de realizar as mais belas experiências, graças ao apoio de amigos e familiares. Posso dizer que o Senhor se manifestou poderosamente!

ZENIT: Como você viveu o tempo de preparação para o encontro com o Papa?

Francesca: Eu não dormi a noite; foram dias árduos, entre o grupo do RNS (Renovamento no Espírito) e o trabalho. Fui contactada apenas quatro dias antes do encontro. Assim que eles me disseram, respondi: "Eu posso desmaiar agora ou devo esperar?". Porque parecia ‘absurdo’ o que estava acontecendo comigo! Eu não disse a ninguém, exceto ao meu diretor espiritual, porque, se, em seguida, mudassem de ideia, somente eu ficaria chateada. Eu dormia cansada e de manhã eu me levantava muito cedo. Na noite antes do encontro eu só dormi 2 horas. Eu não parava de dizer: "Senhor, por que eu disse sim?" O momento do encontro foi uma experiência maravilhosa.

ZENIT: O que você disse para o Papa?

Francesca: Eu tentei lhe dizer muito brevemente como foi a minha experiência com Deus.

ZENIT: O que você sentiu quando ele te abraçou?

Francesca: Indescritível! Eu experimentei momentos intensos de oração em que eu senti Deus muito próximo. Mas quando ele me abraçou, eu senti o abraço de Deus Pai. O Papa exortou-me no caminho da fé.

ZENIT: O que permanece dessa experiência?

Francesca: Uma grande alegria e uma grande serenidade, e como um amigo querido me disse: "agora, já sentiu de tudo!" Mais do que isso eu não poderia desejar.

(Trad.:MEM)