Átrio dos Gentios: diálogo e confronto no terceiro milênio

Próxima edição será em Estocolmo, Suécia

| 759 visitas

Natalia Martone

ROMA, quarta-feira, 18 de julho de 2012 (ZENIT.org) - O Átrio dos Gentios é um espaço de encontro e de diálogo entre crentes e não crentes, desenvolvido pelo Conselho Pontifício para a Cultura sob a presidência do cardeal Ravasi e por sugestão do papa Bento XVI, que apresentou a ideia à cúria romana em 2009.

O Átrio dos Gentios é uma oportunidade para o diálogo honesto entre pessoas dispostas a ir até o limite da fé, sem abandonar a própria identidade, a fim de se aproximarem daqueles que estão do outro lado, prontos para dar o mesmo passo. Neste sentido, todos são “crentes”, porque estão dispostos a crer no outro, a dialogar com o outro. Aliás, muitos não crentes ou ateus que participaram do átrio se recusaram a ser chamados de tais, preferindo termos como “gentios” ou “humanistas”. O professor Lluis Pasqual, um dos interlocutores do átrio catalão, declarou expressamente que "ateu é uma palavra que exclui, enquanto gentio é uma palavra que não exclui (...) Todos acreditamos em algo".

Esta é uma das chaves para compreender o que o Átrio dos Gentios pretende se tornar: um espaço aberto a todos, sem imposições, sem coerção. Cada um com suas próprias crenças participa nas "correntes do diálogo", diz Ravasi. É importante entender que o Átrio dos Gentios é um lugar em que a confrontação serve para a reflexão e para a comunicação com aqueles que crêem de forma diferente, derrubando o muro de surdez que torna impossível refletir em comum sobre as questões importantes.

A falta de comunicação é uma das causas da crise global que estamos vivendo. Para derrubar os muros, ou pelo menos começar a derrubá-los, o Átrio dos Gentios se reúne de duas formas: no lugar físico (Paris, Bolonha, Florença, Palermo, Barcelona...), em eventos nos quais o diálogo é um dueto entre os interlocutores, e no espaço virtual (www.cortiledeigentili.com), uma continuação do diálogo que transcende os limites do espaço-tempo, disponível para quem quiser prestar atenção a ele.

Os temas são tão múltiplos quanto os pontos de vista: legalidade e multiculturalismo, abordado em Palermo, a capital da máfia e das anti-máfias; beleza, arte e transcendência, tratado em Barcelona, a ​​casa de Gaudí, "arquiteto de Deus"; a relação tantas vezes conflituosa entre a verdade e a diplomacia, discutida na Embaixada da Itália junto à Santa Sé.

O espaço virtual do Átrio dos Gentios acompanha os eventos físicos com interesse. Nos meses anteriores e seguintes a cada reunião física, ele alimenta as discussões, abrindo novos espaços.

Desta forma, o diálogo se torna transversal: das salas de aula, entre homens da cultura e da fé, para qualquer pessoa conectada à internet. No site, cada evento pode ser seguido na íntegra, inclusive com transmissão ao vivo: todos podem se expressar e refletir, e o diálogo pode se espalhar por cada sala da mente humana.

Depois do evento Verdade e Diplomacia, na Embaixada da Itália junto à Santa Sé, que manifestou a necessidade de incluir a verdade entre as obrigações dos governantes, o Átrio dos Gentios vai agora para o norte da Europa: de14 a 25 de setembro, o encontro acontece em Estocolmo, a casa dos prêmios Nobel.

No átrio sueco participarão cientistas e peritos em Direito, que, sob a co-presidência de Georg Klein, Thomas Hammarberg e do cardeal Ravasi, dialogarão sobre a relação entre ciência e fé, especialmente em relação aos novos desafios da humanidade neste milênio turbulento.

(Tradução:ZENIT)