Audiência de quarta-feira: o papa recorda o jesuíta assassinado na Síria

Francisco dá início a uma série de catequeses sobre os dons do Espírito Santo

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 353 visitas

O Santo Padre falou hoje sobre o padre Frans van der Lugt, jesuíta assassinado nesta segunda-feira em Homs, na Síria: “Um irmão meu, jesuíta, holandês, de 75 anos, chegado à Síria há 50 anos, que sempre fez o bem a todos, com gratuidade e amor, e por isso era amado e estimado por cristãos e muçulmanos”, disse o papa.

“Seu brutal assassinato me encheu de profunda dor e me fez pensar ainda mais em tanta gente que sofre e morre nesse país atormentado, a minha amada Síria, que é vítima, já faz tempo demais, de um conflito sangrento que continua colhendo morte e destruição”.

Francisco voltou seu pensamento “às numerosas pessoas sequestradas, cristãos e muçulmanos, sírios e de outros países, entre os quais há bispos e sacerdotes”. O papa convidou os ouvintes a pedirem ao Senhor que as vítimas desses sequestros “possam voltar logo para junto dos seus, das suas famílias e comunidades”.

O papa também instou os presentes a se unirem “de coração à minha oração pela paz na Síria e na região. Lanço um apelo premente aos responsáveis sírios e às comunidades internacionais: por favor, silenciem as armas, acabem com a violência! Chega de guerra! Chega de destruição! Respeitem o direito humanitário, cuidem da população necessitada de assistência humanitária e cheguem à paz desejada através do diálogo e da reconciliação!”.  O pontífice pediu a Maria, Rainha da Paz, que interceda pela Síria. Os peregrinos na Praça de São Pedro rezaram uma ave-maria junto com o papa pela paz naquela nação.

Antes de começar a audiência, milhares de mãos se agitavam com gritos de “Francisco, Francisco!”. Enquanto o papa cruzava a praça a bordo do papamóvel, as pessoas se mostravam emocionadas e entusiasmadas com o sucessor de Pedro. Um peregrino entre os presentes gritou em italiano "Francesco, sei unico!" [Francisco, és único], e o papa respondeu: "Você também é único!".

Finalizada a série de catequeses sobre os sacramentos, Francisco abriu hoje uma nova série, na qual abordará os dons do Espírito Santo.

No resumo, ele declarou: “Queridos irmãos e irmãs, começamos hoje uma nova série de catequeses dedicadas aos sete dons do Espírito Santo. O primeiro dom é o da sabedoria. Ela não é fruto do conhecimento ou da experiência humana; ela consiste, antes, numa luz interior que só pode ser dada pelo Espírito Santo e que nos torna capazes de reconhecer a marca de Deus na nossa vida e na história. Esta sabedoria nasce da intimidade com Deus e faz do cristão uma pessoa contemplativa: tudo lhe fala de Deus e ele vê tudo como um sinal do seu amor e como um motivo de gratidão. Nós também temos que nos perguntar se a nossa vida tem o sabor do Evangelho; se os outros percebem que somos homens e mulheres de Deus; se é o Espírito Santo quem inspira a nossa vida ou se são as nossas ideias e propósitos. Como é importante que as nossas comunidades tenham cristãos dóceis ao Espírito Santo, que tenham experiência das coisas de Deus e comuniquem aos outros a sua doçura e amor!”.

A seguir, o papa saudou com afeto os peregrinos dos vários países. “Convido todos vocês a intensificar a preparação espiritual para as próximas festas da Páscoa do Senhor, para que a ação do Espírito Santo produza em nós frutos de verdadeira conversão e santidade. Que Deus os abençoe! Muito obrigado”.

Depois das saudações em diversos idiomas, o pontífice dedicou especial atenção aos jovens, aos doentes e aos recém-casados, a quem recordou que “estamos vivendo o tempo de graça da quaresma”. Aos jovens, Francisco pediu que não se cansem de “pedir na confissão o perdão de Deus”; aos doentes, que unam os seus sofrimentos aos da cruz de Cristo; e, aos recém- casados, que se esmerem no perdão e na ajuda recíproca.