Ausência de perguntas sobre a fé é desafio para Igreja

Cardeal Ravasi avalia sessão do Átrio dos Gentios em Paris

| 1250 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 29 de março de 2011 (ZENIT.org) - Embora tenha sido uma opção "um pouco arriscada", o encontro do Átrio dos Gentios em Paris teve um resultado positivo, observa o cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, no final da sessão realizada na Cidade das Luzes nos dias 24 e 25 de março.

"Iluminismo, religião, razão comum" foi o tema sobre o qual discutiram intelectuais crentes e não-crentes, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação e a Cultura (UNESCO) e em outros lugares simbólicos da cultura francesa, como a Sorbonne, a Academia Francesa e o átrio da Catedral de Notre Dame.

O Átrio dos Gentios, cujo diretor-executivo é o Pe. Jean-Marie Laurent Mazas, foi criado como uma estrutura permanente do Conselho Pontifício para a Cultura para proporcionar um espaço para o diálogo livre entre crentes e não-crentes sobre o tema da fé e das grandes questões existenciais (vida e morte, bem e mal, amor e dor, verdade e mentira, transcendência e imanência).

Em um balanço desta experiência, o cardeal Ravasi disse aos microfones da ‘Rádio Vaticano': "Minha impressão tem três elementos: em primeiro lugar, o de Paris foi por excelência o encontro com uma cidade simbólica, que na tradição é a cidade da laicidade e, portanto, da liberdade, da independência entre Igreja e Estado; e eu tenho que reconhecer que esta reunião recebeu uma particular atenção e sensibilidade".

"Um segundo aspecto - acrescentou - diz respeito aos temas abordados, já que todos foram de alto nível e houve diálogos autênticos, com visões diferentes, mas também com muita paixão."

"A terceira experiência, a terceira impressão - confessa - é que o encontro de Paris se torna verdadeiramente um modelo que, no entanto, teremos de adaptar continuamente em outras formas para outras cidades, especialmente tendo em conta o ponto final da vigília, quando a participação se torna verdadeiramente popular, com a multidão, com um horizonte mais amplo."

"De fato, no futuro, teremos que enfrentar não apenas o ateísmo ou as perguntas que os não-crentes de alto nível levantam, mas também a superficialidade, a falta de questões sobre a fé, frequentemente registradas em um nível mais baixo."

O cardeal Ravasi pediu ao Colégio dos Bernardinos, um grande centro cultural da diocese de Paris, que continue promovendo o diálogo local entre crentes e não-crentes, com iniciativas do Átrio dos Gentios.
"Nós, da Santa Sé, viemos apenas para plantar uma semente, mas outros devem fazer que floresça", afirmou o cardeal.

As próximas cidades nas quais estão organizando reuniões do Átrio dos Gentios são: Tirana, Estocolmo, Praga, Quebec, Chicago e Florença.

Mais informações: http://www.atriumgentium.org