Austrália: Igreja pede orações pelas vítimas das inundações

Crônica das Pontifícias Obras Missionárias locais

| 731 visitas

BRISBANE, quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - As enchentes que atingem, há mais de um mês, o nordeste da Austrália, afetam cerca de 75% da região de Queensland, uma área cinco vezes maior do que o Reino Unido, afirma um comunicado das Pontifícias Obras Missionárias (POM) australianas.

Segundo uma avaliação recente, cerca de 30 pessoas morreram e 50 continuam desaparecidas. Os serviços de emergência continuam procurando entre os escombros.

A capital de Queensland, Brisbane, é o último centro urbano que foi submergido, informa a agência de notícias Fides.

As fortes chuvas e marés do rio Brisbane inundaram bairros inteiros, forçando 20 mil famílias a se afastar e fechar 3.500 fábricas. A eletricidade e a água foram destruídas, e a cidade foi declarada zona de desastre.

No entanto, segundo o diretor diocesano das POM de Brisbane, David McGovern, "o pior ainda está por vir e cresce a preocupação pelas doenças; as águas retrocedem, mas os danos a casas e pessoas vão durar muito mais tempo".

O arcebispo de Brisbane, Dom John Bathersby, pediu orações "pelos defuntos e por suas famílias, pelos trabalhadores humanitários e todos os que sofrem por causa das enchentes".

O prelado também anunciou que as paróquias e as escolas foram disponibilizadas para as vítimas, enquanto o escritório central da arquidiocese está fechado devido à falta de eletricidade.

Como as inundações causaram apenas danos leves à infraestrutura das escolas católicas da cidade, estas abrirão suas portas novamente em breve.

Além disso, a Entidade para a Educação Católica de Brisbane vai trabalhar em coordenação com o governo e as agências ligadas à Igreja para prestar assistência às famílias de alunos e professores que perderam suas casas.

A Conferência Episcopal australiana informou que todos os bispos e a população do país estão unidos na oração e no apoio prático para enfrentar as piores inundações das últimas décadas, que continuam atingindo o estado de Queensland.

Um sacerdote da arquidiocese de Brisbane, o Pe. John Conway, agora administrador de três paróquias em uma área das redondezas de Toowomba, observou que "é uma enorme tragédia, mas a resposta das pessoas é incrível."

O Papa Bento XVI se fez presente garantindo sua oração e enviando uma contribuição de 50 mil dólares para a campanha a favor das vítimas das enchentes de Queensland, coordenada pela Sociedade de São Vicente de Paulo.