Australianos agradecidos por sua primeira santa

Cardeal Pell fala sobre a canonização de Mary MacKillop

| 1172 visitas

SIDNEY, quinta-feira, 28 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – Refletindo sobre a canonização, na semana passada, da primeira santa australiana, o cardeal George Pell, arcebispo de Sidney, disse que “inflama o coração” ver a imagem da Santa Mary MacKillop na Basília de São Pedro, no Vaticano.

No domingo, o cardeal fez um breve informe sobre o acontecimento, que reuniu cerca de 8 mil australianos em Roma para a missa de canonização da fundadora das Irmãs de São José, e que muitos outros peregrinos chegaram desde lugares como Nova Zelândia, Escócia, Peru e Timor Oriental, onde as irmãs de São José trabalham atualmente.

Nessa missa, o Papa canonizou Stanislaw Soltys (Polônia), André Bessette (Canadá), Cândida Maria de Jesus Cipitria y Barriola (Espanha), Giulia Salzano (Itália), e Camila Battista Varano (Itália).

O cardeal Pell saudou a “ampla aprovação na maior parte da comunidade australiana” e, em particular, a “delegação bipartidária parlamentar, chefiada pelo ministro de Assuntos Exteriores e pelo deputado líder da oposição, que foram a Roma”.

Na segunda-feira passada, cerca de 5 mil australianos se reuniram em São Paulo Fora dos Muros para uma Missa de Ação de Graças. O cardeal Pell explicou que o lugar foi escolhido para a “única celebração australiana” tanto por sua amplitude como por “seus antigos laços com o mundo de língua inglesa”.

“Antes da Reforma, os reis católicos da Inglaterra eram honorários da basílica, que é agora lugar tradicional das celebrações ecumênicas”, explicou.

Nessa missa, a irmã Maria Casey, postuladora da causa de Mary MacKillop, afirmou que “ocorreram grandes momentos em Roma” no dia da canonização de Mary MacKillop. Acrescentou que o eco dos fatos também se sentiu na “Australia, Nova Zelândia, Irlanda, Escócia, Estados Unidos, Timor Oriental, Peru e outros lugares”.

“Ela não é apenas santa australiana”, disse. “Ela é uma santa do mundo inteiro”.

Em sua homilia, Cardeal Pell afirmou que os australianos estão “encantados e agradecidos” pela canonização de sua primeira santa nativa.

O purpurado acrescentou que Santa MacKillop constitui uma inspiração para todos os australianos, especialmente no que se refere a seus ensinamentos sobre o perdão, a ajuda aos demais, e sua fortaleza ao enfrentar as dificuldades. “Estes ensinamentos falam a mulheres e homens distantes de nossas fronteiras e de todas as épocas”, afirmou.

“A Austrália não é um país perfeito”, concluiu cardeal Pell, “mas as bençãos que Deus derramou sobre nós foram abundantes. Agora ele elevou dentre nós Mary MacKillop para ser nossa primeira santa”.