Balanço sobre impacto do Compêndio da Doutrina Social da Igreja

Na abertura da Plenária do Conselho Pontifício Justiça e Paz

| 725 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 21 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- Em 20 de novembro, ao redigir um informe na Assembléia Plenária sobre as atividades do Conselho Pontifício Justiça e Paz, o bispo Giampaolo Crepaldi fez um balanço do impacto que o «Compêndio da Doutrina Social da Igreja» causou.



Este volume foi apresentado pela primeira vez em 25 de outubro de 2004 e já foi difundido no mundo inteiro e em numerosos idiomas.

«Tentando fazer um balanço provisório da recepção do compêndio três anos após sua publicação – afirmou Crepaldi –, eu me atreveria a dizer que foi acolhido com maior entusiasmo fora da Europa, na Ásia, África, América Latina, antes que no continente europeu.»

Segundo o secretário do dicastério vaticano, «há ainda muito a fazer para que o compêndio seja sistematicamente usado como ponto de referência para uma pastoral social adaptada aos tempos, conforme o ensinamento da Igreja, e confiada em que a luz do Evangelho é ainda o motor principal do desenvolvimento humano».

Entre os muitíssimos encontros nos quais o Compêndio foi apresentado, Dom Crepaldi sublinhou os que aconteceram na Rússia e em Cuba.

«Na Rússia, em São Petersburgo e Moscou, a apresentação do Compêndio favoreceu os contatos com a Igreja Ortodoxa», revelou o prelado.

«Em Cuba – acrescentou –, pela presença naquele país de um regime comunista, e pela vivacidade de uma Igreja Católica muito comprometida à frente do laicato, a apresentação do Compêndio foi uma iniciativa oportuna.»

Para Crepaldi, a difusão do Compêndio em dois níveis, o das ideologias políticas e o do ecumenismo, «pode fazer muito bem porque ajuda a esclarecer, compreender e a dialogar na busca da verdade».