Barcelona terá novo cardeal

É o arcebispo Luís Martinez Sistach

| 724 visitas

BARCELONA, quarta-feira, 17 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- Uma lembrança de seus pais falecidos, por tê-lo educado na fé cristã, e um agradecimento a Bento XVI foram as primeiras reações do arcebispo de Barcelona, Luís Martinez Sistach, que será nomeado cardeal pelo Papa em 24 de novembro, em Roma.



Em uma coletiva de imprensa posterior à nomeação, Dom Martinez Sistach, de 69 anos, disse que esta nomeação significa «um chamado a viver mais intensamente a fé em Jesus Cristo» e a dar testemunho «em todo momento com fidelidade e abnegação».

O arcebispo deseja que esta nomeação seja «um novo estímulo» para toda a diocese de Barcelona para «levar a cabo com confiança e esforço o trabalho de evangelização» e pediu orações aos diocesanos por este serviço que lhe foi confiado.

«Neste momento, lembro-me especialmente de meus pais, já falecidos, que me deram uma educação cristã. Esta fé recebida, vivida com meus pais e minhas irmãs no seio de uma família cristã, me levou a responder ao chamado do Senhor no ministério presbiteral.»

O arcebispo nasceu em Barcelona em 29 de abril de 1938. Estudou com os Irmãos Maristas e em 1954 estudou filosofia e teologia no Seminário Maior de Barcelona. Depois de concluir seus estudos, foi ordenado presbítero em 17 de setembro de 1961 pelo arcebispo Gregório Modrego Casaus.

Enviado a Roma em 1962, finalizou seus estudos de Direito Canônico na Pontifícia Universidade de Latrão. Sua tese doutoral versou sobre «o direito de associação na Igreja».

De volta à Barcelona, foi membro de equipes sacerdotais, professor de religião, conselheiro das Equipes de Nossa Senhora e conselheiro diocesano dos Graduados de Ação Católica.

Foi professor de direito canônico na Faculdade de Teologia da Catalunha, no Instituto Teológico Martí Codolar, dos Padres Salesianos, e no Instituto Superior de Ciências Religiosas.

O cardeal Narcís Jubany o nomeou vigário-geral de Barcelona no ano 1979, com a responsabilidade de assegurar a coordenação de todos os organismos da cúria diocesana.

João Paulo II o nomeou bispo auxiliar de Barcelona em 13 de novembro de 1987. Recebeu a ordenação episcopal no mesmo ano, na catedral de Barcelona.

Desde 1971 até 1977 foi vice-secretário da Conferência Episcopal Tarraconense e em 1977 foi nomeado secretário, além de ter sido encarregado de jovens, pastoral da saúde e de relação com ordens e congregações religiosas.

Vigário-geral de Barcelona, também foi presidente da Associação Espanhola de Canonistas.

Em 1986, foi publicada sua tese doutoral, da qual já há cinco edições.

O novo cardeal foi presidente da Junta Episcopal de Assuntos Jurídicos da Conferência Episcopal Espanhola.

Em 1991, foi nomeado bispo de Tortosa e participou do Concílio Provincial Tarraconense.

Em 20 de fevereiro de 1997, foi nomeado arcebispo metropolita de Tarragona. É presidente da Conferência Episcopal Tarraconense e membro da Comissão Permanente da Conferência Episcopal Espanhola.

Este novo cardeal catalão é consultor do Pontifício Conselho para os Leigos e é membro do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos.

Em 15 de junho do ano 2004, foi nomeado arcebispo metropolita de Barcelona.

Entre outros temas, publicou livros e artigos sobre questões canônicas e pastorais relativas ao matrimônio, à organização da Igreja e às relações entre Igreja e Estado.