Basílica do Pilar, na Espanha, sofre atentado com bomba caseira

Uma mulher sofreu lesões leves. Suspeitas recaem sobre grupos de extrema esquerda ou anarquistas

Roma, (Zenit.org) Redacao | 459 visitas

Um pequeno artefato caseiro explodiu ontem na basílica do Pilar, em Saragoça [Zaragoza], na Espanha, por volta das 13h50 do horário local. A explosão não causou perdas humanas nem no patrimônio histórico e artístico do templo, embora tenha deixado alguns danos materiais. A bomba caseira foi colocada no corredor da nave central, próxima do altar maior.

Ángel Val, da prefeitura de Saragoça, confirmou que os serviços de emergência atenderam somente uma mulher, que sofreu danos leves nos tímpanos.

Em comunicado, a arquidiocese de Saragoça informa que uma equipe do esquadrão antibombas da polícia, os chamados Tedax, examinou outro pequeno pacote deixado na mesma área da catedral, enquanto o templo e a praça eram interditados pela polícia.

A arquidiocese “agradece à Virgem do Pilar pela proteção e às muitas pessoas e instituições que enviaram mensagens de apoio”.

A principal hipótese sobre a autoria aponta para algum pequeno grupo de extrema esquerda ou de anarquistas. Fontes policiais veem semelhanças com um ataque perpetrado em fevereiro na catedral de Almudena, em Madri, por um grupo anarquista.

A explosão, segundo a polícia, foi provocada "por um pequeno artefato feito com um cilindro de gás usado para camping, que foi colocado no corredor central da nave do altar maior". O artefato era de fabricação caseira e com baixa potência.

Os visitantes que estavam na basílica do Pilar no momento do atentado sentiram a explosão, mas mantiveram a calma e não saíram do templo até ser orientados a evacuá-lo.

O porta-voz do partido Esquerda Unida, José Manuel Alonso, declarou à agência Efe que viu dois jovens sair correndo da basílica do Pilar logo após uma explosão no interior do templo, enquanto o resto das pessoas presentes da igreja saía de maneira ordenada.

A explosão, próxima dos primeiros bancos do altar maior, não causou danos à imagem da Virgem do Pilar, que se encontra em uma das capelas laterais. A imagem é de 38 centímetros e remonta, segundo a tradição, ao ano 40, quando Maria teria aparecido para o apóstolo Tiago Maior em Caesaraugusta, antigo nome da cidade de Saragoça.