Batismo cristão é imersão no Cristo, diz cardeal

Dom Geraldo Agnelo explica que ser batizado é receber o dom da fé

| 838 visitas

Por Alexandre Ribeiro

 

SALVADOR, quarta-feira, 16 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- Segundo o cardeal Geraldo Majella Agnelo, o batismo do cristão é imersão no Cristo.

Em mensagem remetida a Zenit esta quarta-feira, no contexto da liturgia do domingo passado, batismo do Senhor, o arcebispo de Salvador (Bahia, Brasil) destaca que ser batizado é receber o dom da fé, isto é, «reconhecer em Jesus o Filho de Deus».

«Reconhecer nele aquele no qual o Pai se compraz, a vida eterna que tem junto do Pai e que nos foi comunicada», afirma.

O cardeal Geraldo Agnelo explica que Jesus recebe o batismo para cumprir toda a justiça.

«O fato de João batizar com um batismo de remissão dos pecados, enquanto Jesus, sendo Filho de Deus, não é pecador, explica-se porque convém que assim se cumpra toda a justiça.»

Em Mateus, explica o purpurado, «a “justiça” é sempre a conformidade com a vontade de Deus. No batismo de Jesus, seja Jesus, seja João, obedecem à vontade do Pai».

O arcebispo explica também que João deve ainda uma vez batizar para que Jesus receba a investidura do “Servo”.

«Por isso Jesus invocará o seu batismo quando lhe perguntarem de onde lhe vem a sua autoridade, (cf. Mateus 21,23). De sua parte, Jesus inicia o seu ministério de Servo fazendo-se solidário com os pecadores», destaca.

Segundo o cardeal primaz do Brasil, o batismo é o sacramento da união com Cristo.

«Como ensina São Paulo, o cristão foi batizado em Cristo Jesus. Mediante este sacramento, o cristão está morto com Cristo, foi sepultado juntamente com ele; viverá definitivamente com ele (cf. Romanos 6, 3-11; Colossenses 2, 12-13).»

No batismo – prossegue Dom Geraldo Agnelo –, «o fiel se une à sua cabeça, o Salvador, e a ele liga o próprio destino para atingir com ele à salvação. No que foi batizado renova-se o evento salvífico de Cristo, em particular a sua morte redentora e a sua ressurreição».

Sendo assim, o cristão adquire vida nova seja no Cristo, seja no Espírito Santo. «Um e outro determinam a sua vida, pois ambos são enviados por Deus, como testemunhas do seu amor e protagonistas da obra da salvação».

Segundo o arcebispo de Salvador, como Jesus no seu batismo, assim todos os batizados receberam o dom do Espírito, que fez deles um só corpo.

«Unido assim a Cristo e vivendo da vida do seu Espírito, o cristão é agregado ao corpo mesmo de Cristo, que é a Igreja. O batismo incorporando os fiéis a Cristo, constitui a comunidade animada pelo Espírito», afirma.