Benin: encontro avalia o estado geral da educação católica

País comemora 150 anos de instrução cristã

Roma, (Zenit.org) | 902 visitas

Nos 150 anos da educação católica no Benin, a conferência episcopal do país lançou diversas iniciativas, entre as quais o Estado Geral da Educação Católica, realizado em Cotonou de 19 a 21 de dezembro de 2012.

De acordo com o comunicado oficial de imprensa, 250 pessoas de todas as dioceses do Benin participaram do evento. Entre os representantes dos diversos setores da educação católica, estavam os padres da Sociedade das Missões Africanas, que, em 1862, foram os iniciadores da escola católica no então reino de Daomé.

A reunião foi aberta em 19 de dezembro, durante uma missa celebrada por dom Victor Agbanou, de Lokossa, responsável pela educação na Conferência Episcopal do Benin. Houve inúmeros workshops e cursos, em especial sobre a história da educação católica no país, sobre os pontos fortes do ensino católico e também sobre os seus problemas e desafios.

Após o encontro, os participantes apresentaram propostas concretas como "tornar a educação católica mais acessível aos pobres, criar uma comissão de conciliação em matéria educativa e atualizar os cursos de instrução religiosa, moral e cívica, a fim de captar melhor as questões sócio-culturais".

Foi também recomendado "o uso de línguas autóctones e a criação de uma associação de fé e ação para ajudar o pessoal docente" nos casos difíceis do cotidiano das escolas.

Algumas propostas "fortes e precisas" foram apresentadas no sentido de fazer "o Estado assumir a sua responsabilidade para subsidiar a escola privada", continua a declaração. O Estado Geral contou com a presença do ministro do Ensino Superior, François Abiola, que expressou a gratidão do governo do Benin pela educação católica.

O documento de síntese, elaborado pela secretaria do evento, será apresentado à Conferência dos Bispos do Benin para em seguida ser proposto ao governo.

Com mais de 260 instituições, a educação católica ocupa um lugar de grande importância no sistema de ensino desse país africano.