Bento XVI: Batismo é dom e responsabilidade

Palavras antes de rezar o Angelus

| 1334 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 9 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – Apresentamos as palavras dirigidas pelo Papa neste domingo antes de rezar o Angelus com os peregrinos na praça de São Pedro. 

* * *

Caros irmãos e irmãs!

Hoje a Igreja celebra o Batismo do Senhor, festa que encerra o tempo litúrgico do Natal. Este mistério da vida de Cristo mostra visivelmente que a sua vinda na carne é o ato sublime de amor das Três Pessoas divinas. Podemos dizer que a partir deste solene evento, a ação criadora, redentora e santificadora da Santíssima Trindade será cada vez mais manifesta na missão pública de Jesus, em seu ensinamento, nos milagres, na sua paixão, morte e ressurreição. Lemos, de fato, no Evangelho segundo São Mateus, que, “depois de ser batizado, Jesus saiu logo da água, e o céu se abriu. E ele viu o Espírito de Deus descer, como uma pomba, e vir sobre ele. E do céu veio uma voz que dizia: ‘Este é o meu Filho amado; nele está meu pleno agrado’” (3, 16-17).

O Espírito Santo "habita" no Filho e nele testemunha a divindade, enquanto a voz do Pai, vinda dos céus, exprime a comunhão de amor. "A conclusão da cena do batismo nos diz que Jesus recebeu esta ‘unção’ autêntica, que ele é o Ungido [Cristo] esperado" (Jesus de Nazaré, Milão, 2007, 47-48), confirmando a profecia de Isaías: "Eis o meu servo, dou-lhe o meu apoio. É o meu escolhido, alegria do meu coração” (Is 42, 1). É realmente o Messias, o Filho do Altíssimo, que, saindo das águas do Jordão, restabelece a regeneração no Espírito e abre, a todos que o querem, a possibilidade de se tornar filhos de Deus. Não por acaso, de fato, cada batizado adquire o caráter de filho a partir do nome cristão, sinal inconfundível de que o Espírito Santo faz nascer "de novo" o homem, a partir do seio da Igreja. O beato Antonio Rosmini diz que "o batizado sofre uma secreta, mas fortíssima operação, pela qual ele é levado à ordem sobrenatural, é colocado em comunicação com Deus" (Del principio supremo della metodica…, Torino 1857, n. 331). Tudo isso foi novamente vivido nesta manhã, durante a celebração eucarística na Capela Sistina, onde conferi o sacramento do Batismo a 21 recém-nascidos.

Caros amigos, o Batismo é o início da vida espiritual, que encontra sua plenitude por meio da Igreja. Na hora propícia do Sacramento, enquanto a comunidade eclesial reza e confia a Deus um novo filho, os pais e os padrinhos comprometem-se a acolher o recém-batizado, sustentando-o na formação e na educação cristã. É esta uma grande responsabilidade, que deriva de um grande dom! Portanto, gostaria de encorajar todos os fiéis a redescobrir a beleza de ser batizados e pertencer à grande família de Deus e a dar testemunho alegre da própria fé, a fim de que esta gere frutos de bem e de concórdia.

Peçamos a intercessão da Beata Virgem Maria, Auxílio dos cristãos, a quem confiamos os pais que estão se preparando para o batismo de seus filhos, bem como catequistas. Toda a comunidade participa da alegria do renascimento pela água e pelo Espírito Santo!

[Traduzido por ZENIT

©Libreria Editrice Vaticana]