Bento XVI: bispos estão ao serviço da unidade

Recebe grupo de prelados indianos em visita ad limina

| 1095 visitas

ROMA, sexta-feira, 17 de junho de 2011 (ZENIT.org) - Promover o carisma da unidade e estar ao serviço dela como pastores é uma das principais tarefas dos bispos, recordou Bento XVI na manhã desta sexta-feira, ao receber um grupo de prelados da Índia.

Na audiência, o Papa encontrou os bispos indianos de rito latino da província eclesiástica de Madras-Mylapore, Madurai, Pondicherry e Raipur, por ocasião da visita ad limina Apostolorum.

“Uma das modalidades em que a comunhão da Igreja se exprimi de modo muito claro – afirmou o Papa – é a relação particularmente importante” que existe entre os bispos e os seus sacerdotes, sejam diocesanos ou religiosos, que partilham e exercitam com os prelados “o único sacerdócio de Cristo.”

Por isso – prosseguiu –, os bispos devem “apoiar os sacerdotes, seus mais estreitos colaboradores, e estarem atentos às suas necessidades e aspirações”.

"Além disso – acrescentou –, o testemunho do amor recíproco" entre bispos e sacerdotes, "sem distinção de casta ou etnia", é fortemente desejado pelo povo, que tem vocês como "um modelo de santidade, amizade e harmonia, que lhe fala ao coração e ensina" como viver "o mandamento do amor."

Bento XVI destacou ainda o "luminoso testemunho da vida consagrada".

"Através de uma estreita cooperação com os superiores religiosos – afirmou – continuem a garantir que os membros dos institutos religiosos nas suas dioceses possam viver o próprio carisma em plenitude e harmonia com os sacerdotes e fiéis”.

Pediu que se cuide para que eles recebam uma sólida base humana, espiritual e teológica, certificando-se de que os consagrados recebam a formação permanente que os ajude a amadurecer em todos os aspectos de sua vida.

O Papa expressou ainda seu particular apreço pelas religiosas na Índia, “que dão testemunho de santidade, vitalidade e esperança”, oferecendo suas orações e realizando obras de grande valor que edificam o Reino de Deus.

Bento XVI pediu ainda que os bispos encorajem as vocações à vida religiosa, um caminho de realização plena, através “do amor de Deus e o serviço aos outros".