Bento XVI celebra 140 anos da Ação Católica

Propõe o desafio de continuar formando santos

| 1456 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 5 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI celebrou neste domingo os 140 anos de fundação da Ação Católica desafiando esta instituição, estendida pelos cinco continentes, a continuar formando santos.

Mais de 100 mil peregrinos desta realidade eclesial – crianças, jovens e adultos –, procedentes em sua maioria da Itália, ainda que havia também representantes das Ações de mais de 40 países, congregaram-se por ocasião da oração mariana do Regina Caeli na Praça de São Pedro, no Vaticano, para escutar as palavras do Papa.

O Santo Padre mencionou os santos, beatos (pelo menos 60), veneráveis e servos de Deus que surgiram das filas da Ação Católica, e perguntou: «Não é possível, ainda hoje, para vós, para vossos jovens e adultos, fazer que vossa vida seja um testemunho de comunhão com o Senhor, que se transforme em uma autêntica obra-prima de santidade?».

«Isso será possível se a Ação Católica continuar sendo fiel às próprias raízes de fé profunda, nutridas por uma adesão plena à Palavra de Deus, por um amor incondicional à Igreja, por uma participação atenta na vida civil e por um constante compromisso formativo.»

«Respondei generosamente a este chamado à santidade, segundo as formas mais próprias de vossa condição leiga!», exortou o Papa.

«Segui inspirando-vos pelas três grandes ‘ordens’ que meu venerado predecessor, o Servo de Deus João Paulo II, confiou-vos em Loreto em 2004: contemplação, comunhão e missão.»

A seguir, o Papa apresentou a contribuição que a Ação Católica pode oferecer na conjuntura pela qual a Igreja atravessa.

Diante da «emergência educativa» que se experimenta neste momento, o bispo de Roma alentou os membros da Ação Católica a serem «anunciadores incansáveis e educadores preparados e generosos».

«Em uma Igreja chamada a provas também muito exigentes de fidelidade e diante da tentação de acomodar-se aos tempos, sede testemunhas valentes e profetas da radicalidade evangélica», acrescentou.

«Em uma Igreja que cotidianamente se confronta com a mentalidade relativista, hedonista e consumista – exortou –, sabei ampliar os espaços da racionalidade, no século de uma fé amiga da inteligência, tanto no âmbito de uma cultura popular e difusa, como no de uma investigação mais elaborada e profunda.»

«Em uma Igreja que pede o heroísmo da santidade – concluiu –, respondei sem temor, confiando sempre na misericórdia de Deus.»

A Ação Católica – Associação de leigos que têm seu ponto de agregação e referência na paróquia – funde suas raízes em 1867, na Sociedade da Juventude Católica Italiana, aprovada no ano seguinte por Pio IX. Foi estabelecida com o nome e a configuração atual pelo Papa Pio XI (1922-1939).

Na Itália, está presente em aproximadamente 8 mil paróquias, e conta com cerca de 180.000 adultos, 80.000 jovens e 150.000 adolescentes.

Para favorecer o conhecimento recíproco entre as Associações e Federações de Movimentos da Ação Católica dos diferentes países, surgiu o Foro Internacional da Ação Católica (www.fiacifca.org).