Bento XVI encontrou os voluntários católicos europeus

O evento destacou o voluntariado cristão como forma gratuita de amor

| 1081 visitas

ROMA, sexta-feira, 18 de novembro de 2011 (ZENIT.org) - Em ocasião do Ano Europeu do Voluntariado 2011, foi organizado em Roma nos dias 10 e 11 de novembro um encontro entre bispos e representantes de organizações católicas e internacionais, provenientes de 35 países.

O evento destacou o tema do voluntariado cristão como forma gratuita de amor. Devemos "imitar Cristo”, disse o Cardeal Robert Sarah, presidente do Pontifício Conselho Cor Unum, que abriu o evento na tarde de quinta-feira.

A nossa "motivação é em direção a Paz: viver e cooperar com a sociedade". Deus dá ao homem a vontade para que ele siga o caminho do bem - prosseguiu o cardeal- evocando São Tomas de Aquino. A formação para o voluntariado nos "confirma na fé, na esperança e no amor".

Uma idéia de voluntariado fundado no amor, "presente gratuito que recebemos de Deus", e nós “devemos dar de graça o que de graça recebemos" - destacou o cardeal - citando Bento XVI em Caritas in Veritate,como característica do voluntário católico. "Não é filantropia, mas sacrifício pelos outros", imitando Cristo e sendo testemunha para aqueles que estão longe da fé.

O voluntário católico deve ser "testemunha de fé e bondadeem uma Europaque está desesperada por Cristo", deve ajudar as pessoas a crescerem e se encontrarem em uma relação pessoal, "deixando a mentalidade da eficiência e voltando para o aspecto pessoal" -advertiu o Cardeal-.

O Cardeal prosseguiu com a apresentação de um vídeo sobre o trabalho da Caritas School Team,um serviço da diocese de Rezeszow, na Polônia, que ajuda a formar os jovens e incentiva os pais ao trabalho voluntário com os mais necessitados sob orientação de um sacerdote.

“De mãos vazias não podemos dar nada” - disse o diretor da Caritas na Polônia -.

Segundo estatísticas, 56% dos voluntários são estudantes. "Os jovens sentem que a contribuição deles provoca uma sensação de bondade que outros setores da sociedade não oferecem - comentou Cardeal Sarah- a cultura do Profit, onde fazer dinheiro é o mais importante, não existe para o voluntário que sente que dar é a maior recompensa.

"Que o encontro com o Papa nos renove na fé e no serviço aos outros" - concluiu o Cardeal.

Após a intervenção do Cardeal Sarah, o evento prosseguiu com o testemunho sobre o voluntariado de Veronika Otturbay da Comunidade Arché.

A Comunidade Arché que atende pessoas portadoras de deficiências mentais na França, oferece um programa de formação para voluntários de 80hrs que aborda aspectos da vida fraterna, afetiva e familiar para que estes possam participar da missão.

"Os profissionais são indispensáveis, mas a presença dos jovens missionários é indispensável para a reintegração dos pacientes na sociedade”.

O Encontro prosseguiu com um Open Fórum e teve seu encerramento no dia seguinte, em um encontro com Bento XVI e missa celebrada na Basílica de São Pedro.

Em seu discurso aos participantes do Encontro dos Voluntários Católicos dos Países Europeus, o Papa incentivou os jovens “a descobrir no trabalho voluntário uma forma de crescer no amor oblativo, que dá um profundo sentido à vida”. -e concluiu- “Peço a Deus que olhe para vossas obras de serviço e vos torne cada vez mais fecundos espiritualmente, para o bem da igreja e do mundo. A vós e aos vossos colegas concedo minha benção apostólica”.

MEM