Bento XVI envia mensagem à televisão russa

Primeira mensagem de televisão de um Papa ao povo russo

| 1161 visitas

MOSCOU/ROMA, 14 de abril de 2008 (ZENIT.org).- Por ocasião do aniversário de Bento XVI, um canal público russo transmitirá pela primeira vez pela televisão um documentário sobre este Papa.

O momento culminante é a alocução do Santo Padre na qual, pela primeira vez na história, o bispo de Roma se dirige ao povo russo para expressar-lhe sua estima.

A mensagem, pronunciada parcialmente em russo, está dirigida a Sua Beatitude Alexis II, patriarca de Moscou e de todas as Rússias, aos cristãos ortodoxos, aos bispos e crentes católicos, e a todos os habitantes da Rússia. Nela, Bento XVI sublinha sobretudo a necessidade do diálogo entre os cristãos.

O documentário, impulsionado e subvencionado pela associação católica internacional Ajuda à Igreja que Sofre e emitido por Vesti, um canal estatal de notícias, apresenta momentos importantes da vida e obra de Joseph Ratzinger, cuja biografia é ainda muito pouco conhecida entre os russos.

No vídeo intervém também o irmão do Papa, monsenhor Georg Ratzinger. A introdução é apresentada pelo arcipreste Igor Vyzhanov, secretário para as Relações Intercristãs do Departamento de Relações Exteriores do Patriarcado de Moscou.

Tanto em Roma como em Moscou há uma clara consciência de que «o documentário e a alocução são um belo símbolo do processo de aproximação entre ambas Igrejas», explica o especialista na Rússia de Ajuda a Igreja que Sofre, Peter Humeniuk, responsável pelo projeto desde o começo e partícipe em sua concepção.

O filme se produziu em estreita colaboração com o Patriarcado de Moscou e, muito especialmente, com o arcipreste Vsevolod Chaplin, vice-presidente do Departamento de Relações Exteriores da Igreja Russo-Ortodoxa, que supervisionou o projeto, e o núncio apostólico em Moscou, o arcebispo Antonio Mennini.

A realização esteve a cargo da produtora cristã inter-confessional Blagovest Media, de São Petersburgo, sob a direção de Nikolaj Goryachkin e em cooperação com CRTN (Rede Católica de Rádio e Televisão), localizada na Alemanha, perto de Frankfurt, e encabeçada por Mark von Riedemann.

A televisão vaticana CTV colocou à disposição do projeto numerosas imagens de arquivo. Goryachkin sublinhou também a extraordinária ajuda prestada por seu diretor, o Pe. Federico Lombardi S.J., que é também diretor da Sala de Informação da Santa Sé.

Peter Humeniuk explicou: «Em minhas viagens à Rússia, detectei em muitas pessoas o desejo de receber informação objetiva sobre o Papa e a Igreja Católica. O documentário sobre Bento XVI também servirá para satisfazer esta demanda».

Segundo assinala, o fato de que o Santo Padre se dirija pessoalmente ao povo russo é «motivo de grande alegria e um acontecimento histórico». Desta forma, destaca o maravilhoso gesto que supõe transmitir o documentário no mesmo dia do aniversário do Papa.

Para Humeniuk, pode afirmar-se que o diálogo entre as Igrejas Católica e Ortodoxa Russa avança.

Neste processo, Ajuda à Igreja que Sofre atua como «força catalisadora, pois sem ser um interlocutor direto deste diálogo, subvenciona iniciativas para sua promoção». Neste sentido, Humeniuk precisa que o documentário é «um sinal revelador da consciência que os cristãos têm da base comum de ambas Igrejas».

Ajuda à Igreja que Sofre é uma associação de direito pontifício dependente da Santa Sé que, por desejo expresso de João Paulo II, vem apoiando o diálogo com a Igreja Ortodoxa Russa desde o começo da década de 90.

Em abril de 2007, o Papa Bento XVI elogiou, em uma audiência privada, o trabalho da Associação em favor da reconciliação entre as Igrejas Católica e Ortodoxa Russa, ratificando o encargo de seu predecessor.