Bento XVI incentiva obra da Comunidade Emmanuel

Associação francesa que em breve comemorará 40 anos

| 1206 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011 (ZENIT.-org) - Bento XVI encorajou, nesta quinta-feira, o trabalho de evangelização realizado pela Comunidade Emanuel, uma das novas realidades eclesiais surgidas na França, de maior crescimento no mundo.

O Papa acolheu os membros desta associação pública internacional de fiéis de direito pontifício - fundada em 1972, a partir de correntes da Renovação Carismática Católica, cuja espiritualidade está centrada na adoração eucarística, na compaixão e na evangelização - para recordar os 20 anos de falecimento do seu fundador, Pierre Goursat (1914-1991), cuja causa de beatificação está em curso.

Um novo carisma

"Que o exemplo de sua vida de fé e do seu compromisso missionário vos motivem e sejam para vós um constante convite a caminhar rumo à santidade!", disse o Pontífice aos membros da Comunidade, entre os quais se encontravam, além dos leigos e sacerdotes que fazem parte dela, vários bispos que encontraram neste carisma sua própria vocação.

Vinte anos após o reconhecimento dos estatutos da Comunidade, pelo Conselho Pontifício para os Leigos, o Papa disse: "Junto a vós, agradeço a Deus por esta obra!".

Recordando que "a graça profunda da vossa Comunidade procede da adoração eucarística", afirmou que "dessa adoração nasce da compaixão por todos os homens e, dessa compaixão, nasce a sede de evangelizar".

"Não podemos guardar para nós o amor que celebramos no Sacramento" da Eucaristia, destacou. "Este, por sua natureza, exige ser comunicado a todos. O mundo precisa do amor de Deus, encontrar Cristo e crer n'Ele."

"Em um mundo muitas vezes desorientado e em busca de novas razões para viver, é preciso levar a todos a luz de Cristo - insistiu o Papa Bento XVI. Sede, em meio aos homens e mulheres de hoje, ardentes missionários do Evangelho, apoiados em uma vida radicalmente ancorada em Cristo!"

Dois conselhos

O Papa deixou dois conselhos aos membros da Comunidade. Antes de tudo, encorajou-os a viver a comunhão entre eles, cada um segundo seu estado de vida. "A comunhão fraterna já é um anúncio do mundo novo que Cristo veio instaurar", explicou.

Em segundo lugar, recordou que "cada carisma está em relação com o crescimento de todo o Corpo de Cristo", motivo pelo qual os convidou a viver uma "atenção permanente de acordo e de colaboração com os pastores, sob a autoridade do bispo".

Segundo o Papa, "o reconhecimento mútuo da diversidade de vocações na Igreja e da sua contribuição indispensável para a evangelização é um sinal eloquente da unidade dos discípulos de Cristo e da credibilidade do seu testemunho".

A Comunidade conta com cerca de 9 mil membros em 57 países, metade deles na França. Compreende diferentes estados de vida (celibatários, casais, 220 sacerdotes, 115 seminaristas, 180 consagrados).

Entre os pastores que encontraram sua vocação neste carisma, encontram-se Albert-Marie de Monléon, dominicano, bispo de Meaux; Dominique Rey, bispo de Fréjus-Toulon; Guy de Kérimel, bispo de Grenoble; Yves Le Saux, bispo de Le Mans; Jean Laffitte, bispo, secretário do Conselho Pontifício para a Família; e Jacques Benoit-Gonnin, bispo de Beauvais.

A Comunidade Emanuel é dirigida por um conselho internacional que escolhe o moderador, responsável pela comunidade - que sempre foi um leigo.

Mais informações em http://www.emmanuel.info.