Bento XVI: na crise, prioridade são os trabalhadores e suas famílias

Demonstra proximidade aos atingidos pelos fechamentos de fábricas

| 843 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 1 de março de 2009 (ZENIT.org).- O Papa afirmou hoje, em suas saudações em diferentes idiomas aos peregrinos congregados na Praça de São Pedro, imediatamente depois da oração do Ângelus, que neste momento de crise a prioridade são os trabalhadores e suas famílias.

«Desejo expressar meu alento às autoridades tanto políticas como e também aos empresários, para que com o esforço de todos se possa enfrentar este delicado momento», explicou o pontífice, fazendo um apelo ao «empenho forte e comum» de todas as forças sociais diante da crise.

Bento XVI dirigiu-se a um grupo de trabalhadores da fábrica de automóveis italiana FIAT da localidade de Pomigliano d'Arco (próxima de Nápoles), presentes na oração do Ângelus, e lhes demonstrou sua proximidade.

Os trabalhadores deste estabelecimento, afetados há meses por um expediente de regulação de emprego, há semanas manifestam-se em favor de seu futuro trabalhista. A fábrica dá trabalho a 5 mil pessoas.

O Papa saudou os trabalhadores vindos a Roma «para manifestar sua preocupação pelo futuro dessa fábrica e das milhares de pessoas que, direta ou indiretamente, dependem dela para trabalhar».

Também se referiu a casos «igualmente difíceis» em outras regiões italianas, como as que estão afligindo os territórios Sulcis-Iglesiente (Sardenha), Prato (Toscana) e outros centros no país.

«Uno-me aos bispos e às respectivas Igrejas locais ao expressar minha proximidade às famílias afetadas, e as confio na oração à proteção de Maria Santíssima e de São José, patrono dos trabalhadores», concluiu.