Bento XVI nomeia arcebispo de Valência (Espanha) como cardeal

Dom Agustín García-Gasco

| 742 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 17 de outubro de 2007 (ZENIT.org).- Entre os vinte e três cardeais que Bento XVI nomeará em 24 de novembro próximo, segundo ele mesmo anunciou nesta quarta-feira, encontra-se o arcebispo de Valência (Espanha), Dom Agustín García-Gasco, de 76 anos.



O Papa, junto a um milhão e meio de peregrinos do mundo, foi hóspede, há pouco mais de um ano, de Dom García-Gasco, pois a cidade espanhola de Valência acolheu o V Encontro Mundial das Famílias.

Segundo a biografia que a arquidiocese valenciana oferece, Agustín García-Gasco Vicente nasceu em Corral de Almaguer (Toledo, Espanha) em 12 de fevereiro de 1931; lá cursou o Ensino Fundamental no Colégio dos Irmãos das Escolas Cristãs La Salle. Ingressou no Seminário de Madri-Alcalá em 1944.

Em 26 de maio de 1956, foi ordenado sacerdote em Madri, cidade onde desenvolveu seu ministério como pároco em Villamanta. Também foi nomeado Delegado Episcopal da Cáritas Diocesana e Professor da Escola de Cursilhos da Cristandade.

É licenciado em Teologia pela Universidade de Comillas (1969), diplomado em Sociologia Industrial e Relações Humanas (1970), especialista em Ciências Empresariais (1976) e especialista em Educação de Adultos e Técnicas de Educação à Distância (1977).

De 1958 a 1970, foi Assessor Religioso do Comissariado de Extensão Cultural do Ministério de Educação e Ciência e da Representação Provincial de Madri; membro da Junta de Pastoral Diocesana (1963-66) e pároco do Santíssimo Cristo do Amor (Madri) em 1964.

Em 1966, foi nomeado Prefeito de Teólogos e Professor do Seminário de Madri. Posteriormente, em 1970, pároco de Santiago e São João Batista (Madri), Secretário Geral da Instituição «Arcebispo Claret»; membro do Secretariado Nacional do Clero, de Madri; e Conselheiro da Associação de Pais de Família do Colégio Sagrado Coração.

Também dirigiu o Instituto Internacional de Teologia à Distância, do qual foi fundador; foi Professor de Religião da U.N.E.D. (Universidade Nacional de Educação à Distância) e Delegado Diocesano do Clero (1973).

Em 1977, foi nomeado Vigário Episcopal do Vicariato III, de Madri. Em 1979, foi designado Professor do Instituto Teológico «São Damaso» e em 1982, Presidente da Instituição Arcebispo Claret.

Em 20 de março de 1985, foi nomeado Bispo Titular de Nona e Auxiliar de Madri-Alcalá; recebeu a ordenação episcopal em 11 de maio do mesmo ano. Posteriormente, em 1988, foi nomeado Secretário-Geral da Conferência Episcopal Espanhola por um período de cinco anos.

Em 1990, assumiu a presidência do Instituto Internacional de Teologia à Distância, hoje denominado Instituto Superior de Ciências Religiosas «Santo Agostinho».

João Paulo II o nomeou Arcebispo de Valência em 24 de julho de 1992, arquidiocese da qual tomou posse em 3 de outubro seguinte.

Em 1995, foi nomeado Membro do Comitê de Presidência do Pontifício Conselho para a Família.

Em 1996 foi eleito Presidente da Comissão Episcopal de Relações Interconfessionais da Conferência Episcopal Espanhola – reeleito depois de três anos – e nomeado membro do Conselho de Presidência da Associação Internacional Lateranense – renovado no triênio seguinte. Em 1999, foi nomeado membro da Congregação vaticana para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, nomeação renovada também em 2005 por cinco anos.

Em abril passado, foi eleito Presidente da Comissão Episcopal (espanhola) para a Doutrina da Fé.

Com o objetivo de apresentar a experiência de Teologia à Distância na América, visitou a Venezuela, Equador, Colômbia, México, Chile, Honduras, Panamá, Cuba, Argentina e Uruguai.

Na arquidiocese valenciana existem indícios de uma comunidade cristã já desde o século IV. É a segunda circunscrição eclesiástica mais importante da Espanha.