Bento XVI ordena quatro bispos, incluindo o novo núncio para a Nicarágua

Secretário pessoal Georg Ganswein também é ordenado

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Sergio Mora | 1047 visitas

Em esplêndida cerimônia na basílica de São Pedro, Bento XVI ordenou neste domingo, 6 de janeiro, quatro novos bispos. Um deles, o nigeriano Fortunatus Nwachurwu, tinha sido nomeado núncio apostólico para a Nicarágua no último 12 de novembro.

Outro dos novos bispos é o secretário pessoal do papa, dom Georg Ganswein, que assume como prefeito da Casa Pontifícia, ou seja, como responsável pelo grupo que cuida do cotidiano e da agenda de Bento XVI. Ganswein viveu de perto o caso Vatileaks, deixando clara a sua fidelidade ao santo padre.

O terceiro bispo é o genovês Nicola Thevenin, nomeado núncio apostólico em 15 de dezembro passado, e o quarto é o também italiano Angelo Zani, secretário da Congregação para a Educação Católica.

O santo padre, como de costume, vestiu o fanon, paramento de antiga tradição que representa o escudo da fé, com dois terminais de tecido que simbolizam a indissolubilidade da Igreja Latina e Oriental.

Além do coral da Capela Sistina, que acompanhou a liturgia, também participou da cerimônia o Coral Palestrina, de Dublin. Ambos os coros cantaram juntos o Adeste Fideles no final da missa solene.

A cerimônia para receber a plenitude do sacramento da ordem, que permite entrar no colégio apostólico e transmite a continuidade do ministério de Pedro, é complexa. Inclui, entre outros particulares, a unção dos futuros bispos, a imposição das mãos, a entrega do báculo, do anel e de um evangelho, e, para indicar a colegialidade, conta com a participação de vários bispos.

Enquanto era celebrada a missa de ordenação episcopal na basílica, acontecia na Via da Conciliação o cortejo anual, iniciado em 1985, com mais de 1500 figurantes em trajes típicos medievais e folclóricos, cujo objetivo é resgatar uma tradição romana que vinha se perdendo: a befana, nome deformado de “Epifania”, mitológica velhinha que presenteava doces às crianças que se comportaram bem no ano anterior.

A manifestação é organizada pelas Famílias Livres Associadas da Europa, que entregaram ao papa, depois do ângelus, diversos presentes da cidade de Arezzo, entre os quais três cálices de prata cinzelados a mão.