Bento XVI pede colaboração entre católicos e budistas

Ao receber os bispos da Tailândia

| 742 visitas

Por Roberta Sciamplicotti

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 16 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI alentou esta sexta-feira a colaboração entre católicos e budistas, ao receber em audiência a Conferência Episcopal da Tailândia.

Ao analisar a situação deste país de 66 milhões de habitantes, em sua maioria budistas e 1% católico, o Papa assegurou o «grande respeito» e a «estima» que a Igreja sente em particular pelos mosteiros budistas, pela «contribuição que oferecem à vida social e cultural do povo tailandês».

A convivência de comunidades religiosas diferentes, observou no discurso que dirigiu em inglês aos prelados tailandeses, ao concluírem sua quinquenal visita «ad limina apostolorum» ao Papa e à Cúria Romana, «tem lugar com o pano de fundo da globalização», cujas forças manifestam «como a humanidade está em equilíbrio entre dois polos».

Por um lado, constatou, dá-se «a crescente multiplicidade de laços econômicos e culturais que em geral valorizam o sentido de solidariedade global e de responsabilidade compartilhada pelo bem-estar da humanidade»; por outro, vêem-se sinais «inquietantes de uma fragmentação e de um certo individualismo no qual prevalece o secularismo, deixando o transcendente e o sagrado à margem e eclipsando a verdadeira fonte da harmonia e unidade no universo».

Segundo o bispo de Roma, os aspectos negativos deste fenômeno cultural mostram «a importância da cooperação inter-religiosa».

«Exigem um esforço comum para apoiar a alma espiritual e moral de vosso povo», disse aos bispos, acrescentando que os católicos podem promover junto dos budistas «uma compreensão recíproca da transmissão das tradições às gerações futuras, à articulação de valores éticos perceptíveis pela razão, reverência pelo transcendente, pela oração e contemplação».

Estas práticas e disposições, observou, «servem ao bem-estar comum da sociedade e alimentam a essência de todo ser humano».