Bento XVI pede que jovens brasileiros sejam testemunhas de esperança

Pontífice reuniu-se com jovens de diferentes partes do mundo via satélite

| 1063 visitas

Por Alexandre Ribeiro 

APARECIDA, domingo, 2 de março de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI recordou esse sábado com carinho sua viagem ao Brasil de 2007 e pediu que os jovens brasileiros sejam testemunhas de esperança.

«Amados jovens, reunidos em Aparecida: ainda está viva no meu coração a lembrança da Viagem Pastoral que realizei no Brasil, especialmente no Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida», confessou o Papa.

Bento XVI falava aos jovens brasileiros via teleconferência, no contexto da Jornada Universitária da Europa e da América. Este ano, o evento reuniu universitários de dez cidades do mundo, entre elas Aparecida.

Cerca de 5 mil jovens congregaram-se no Santuário de Aparecida (167 km de São Paulo), para festejar com seus colegas de diferentes partes do mundo, recitar o Rosário junto do Papa e ouvir as palavras do pontífice.

Ao se dirigir em língua portuguesa aos brasileiros, Bento XVI afirmou que pede «à Virgem Mãe que obtenha para todos vocês a graça de ser sempre testemunhas de esperança».

Bandeiras e lenços se agitaram na Basílica quando o Papa apareceu no telão, às 14h do horário brasileiro. Aplausos e vivas ecoaram ainda mais fortes quando Bento XVI saudou a juventude em Aparecida.

A universitária Marina Campos, 20 anos, de São Paulo, confessou a Zenit sua emoção. «Ver o Papa surgir no telão e depois falar em português com a gente foi muito bonito. Tenho certeza de que todos aqui nunca esquecerão este momento», disse.

Já Ricardo Oliveira, 22 anos, de Campinas, destacou que agora é tempo de acolher o desafio lançado pelo Papa: «ser testemunhas de esperança em nossos ambientes, especialmente na Universidade», afirmou.

O dia de oração e festa tinha iniciado às 10h no Santuário de Aparecida, com palestras, shows musicais e testemunhos. 

Pela tarde, durante o Rosário com o Papa, estudantes de diferentes cidades do mundo se revezaram na recitação das Ave-Marias. As imagens televisivas mostravam os universitários nas diferentes igrejas e santuários, reunidos com seus bispos e arcebispos.

Em uma breve alocução após a vigília mariana, Bento XVI expressou sua esperança na juventude.

«Jovens construtores da civilização do amor! Deus vos chama hoje, jovens europeus e americanos, a cooperar, junto de vossos colegas de todo o mundo, para que a seiva do Evangelho renove a civilização destes dois continentes e de toda a humanidade», disse.

«Este é o imperativo que hoje vos encomendo, queridos amigos: sede discípulos e testemunhas do Evangelho, pois o Evangelho é a boa semente do Reino de Deus, quer dizer, da civilização do amor. Sede construtores de paz e de unidade!», afirmou o pontífice.

Às 16h, o arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, celebrou a eucaristia de encerramento da Jornada com os jovens.

Em sua homilia, Dom Damasceno reforçou o convite de Bento XVI de que os jovens se comprometam na construção da civilização do amor.

«Vocês são chamados a ser discípulos e amigos de Cristo, na renovação do mundo com a luz do Evangelho», afirmou.

O arcebispo de Aparecida enfatizou que «a Igreja ama os jovens, acredita nos jovens e tem esperança neles para a construção de um mundo melhor».

Dom Damasceno abençoou os universitários em seu retorno a casa. Após a missa, as caravanas se despediram, enquanto alguns grupos ainda tocavam violão e entoavam cantos ao redor da Basílica da Padroeira do Brasil.