Bento XVI: São Pio, exemplo de amor a Maria

Intervenção ao rezar o Ângelus em San Giovanni Rotondo

| 1612 visitas

SAN GIOVANNI ROTONDO, domingo, 21 de junho de 2009 (ZENIT.org).- Publicamos as palavras que Bento XVI pronunciou neste domingo, após presidir a Santa Missa no átrio da igreja de São Pio de Pietrelcina, em San Giovanni Rotondo.

* * *

Queridos irmãos e irmãs:

Ao concluir esta solene celebração, convido-vos a rezar comigo, como todo domingo, a oração mariana do Ângelus. Mas aqui, no santuário de San Pio de Pietrelcina, parece que escutamos sua voz, que nos exorta a dirigir-nos a Nossa Senhora com coração de filhos: “Amai Nossa Senhora e fazei que a amem”. Ele repetia isso a todos, porém, mais do que as palavras, valia o testemunho exemplar de sua profunda devoção à Mãe celestial. Batizado na igreja Santa Maria dos Anjos, de Pietrelcina, com o nome de Francisco, como o Pobrezinho de Assis, ele sempre teve um amor muito terno por Nossa Senhora. A providência o trouxe depois para cá, a San Giovanni Rotondo, ao santuário de Santa Maria das Graças, onde permaneceu até a morte e onde descansam seus restos mortais. Toda a sua vida e seu apostolado se desenvolveram sob o olhar maternal da Santíssima Virgem e com a potência de sua intercessão. Ele considerava a Casa Alívio do Sofrimento como obra de Maria, “Saúde dos enfermos”. Portanto, queridos amigos, seguindo o exemplo do Padre Pio, também eu quero confiar todos vós, hoje, à maternal proteção da Mãe de Deus. De modo particular, invoco-a para a comunidade dos Frades Capuchinhos, para os doentes do Hospital e para os que cuidam deles com amor, assim como também para os Grupos de Oração que continuam seguindo, na Itália e no mundo, a recomendação espiritual do seu santo fundador.

Eu gostaria de confiar à intercessão da Santíssima Virgem e de São Pio de Pietrelcina, de maneira especial, o Ano Sacerdotal, que inaugurei na sexta-feira passada, solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Que seja uma ocasião privilegiada para destacar o valor da missão e da santidade dos sacerdotes ao serviço da Igreja e da humanidade do terceiro milênio.

Oremos neste dia também pela situação difícil e às vezes dramática dos refugiados. Ontem comemorou-se precisamente o Dia Mundial do Refugiado, promovido pelas Nações Unidas. Muitas são as pessoas que procuram refúgio em outros países, escapando de situações de guerra, perseguição e calamidade, e sua acolhida apresenta muitas dificuldades, mas, no entanto, é um dever. Se Deus quiser, com o compromisso de todos, conseguiremos eliminar o máximo possível das causas de um fenômeno tão triste.

Com grande carinho, saúdo todos os peregrinos aqui reunidos. Expresso meu agradecimento às autoridades civis e àqueles que colaboraram na preparação da minha visita. Obrigado, de coração! Repito a todos: ide pelo caminho que o Padre Pio vos indicou, o caminho da santidade segundo o Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo. Neste caminho, Nossa Senhora sempre vos precederá e, com mãos maternas, Ela vos guiará à pátria celeste. 
 

[Tradução: Aline Banchieri.

© Copyright 2009 - Libreria Editrice Vaticana]