Bento XVI: «Só seguindo Jesus encontra-se o verdadeiro sentido da vida»

Palavras do Papa aos jovens da Ação Católica Italiana

| 831 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 21 de dezembro de 2005 (ZENIT.org).- «Só seguindo a Jesus encontra-se o verdadeiro sentido da vida e por isso a alegria verdadeira e duradoura», constata Bento XVI.



Foram suas palavras de segunda-feira, ao receber em audiência os jovens da Ação Católica Italiana (ACR), uma tradição anual que Paulo VI iniciou por ocasião do intercâmbio de felicitações pela próxima celebração do Nascimento de Jesus.

É um tempo em que «celebramos o infinito amor de Deus por todos os homens», que deu seu Filho unigênito «e se uniu tão intimamente a nossa humanidade até querer compartilhá-la fazendo-se homem entre os homens, um de nós», disse o Santo Padre aos 32 jovens e adolescentes que o escutavam.

Estes haviam ido a Roma procedentes de 16 dioceses em representação de 150 mil membros de ACR. Acompanhou-os o assistente eclesiástico geral, Dom Francesco Lambiasi, e o presidente, Luigi Alici.

«Buscai sempre o Senhor Jesus --pediu o Papa aos jovens--, crescei em amizade com Ele, aprendei a escutar e a conhecer sua palavra e a reconhecê-lo nos pobres presentes em vossas comunidades».

«Vivei vossa vida com alegria e entusiasmo, seguros de sua presença e de sua amizade gratuita, generosa, fiel até a morte de cruz», acrescentou.

Bento XVI aludiu também ao lema eleito para o caminho formativo 2005-2006 de ACR, «Estás conosco».

«Queridos jovens: o Senhor Jesus está sempre conosco e caminha sempre com sua Igreja, acompanha-a e guarda-a. Não duvideis jamais de sua presença!», disse.

Convidou-os a dar testemunho da «alegria desta sua presença forte e doce a todos», começando por seus conterrâneos «Dizei-lhes que é belo ser amigo de Jesus e que vale a pena segui-lo», animou-os.

«Mostrai com vosso entusiasmo que, entre os muitos modos de viver que hoje o mundo parece oferecer-nos, todos aparentemente no mesmo plano, só seguindo Jesus encontra-se o verdadeiro sentido da vida e por isso a alegria verdadeira e duradoura», sugeriu.

O Papa mostrou também sua satisfação com os jovens da Ação Católica Italiana pela fraternidade nacional que levaram adiante em apoio da diocese de Sarajevo.

«Este compromisso pela paz que assumis com os irmãos de Sarajevo constitui verdadeiramente um sinal de vossa amizade com Jesus, que pelas Escrituras é chamado Príncipe da paz», expressou.

Ao término da audiência, Bento XVI falou e saudou algumas crianças e jovens, e recebeu os presentes de cada diocese ali representada.

Ação Católica --associação de leigos que em geral tem seu ponto de agregação e referência na paróquia-- funde suas raízes em 1867, na Sociedade da Juventude Católica Italiana, aprovada no ano seguinte por Pio IX. Foi estabelecida com o nome e configuração atuais pelo Papa Pio XI (1922-1939).

Na Itália, a Ação Católica (www.azionecattolica.it) soma aproximadamente 180 mil adultos, 80 mil jovens e 150 mil adolescentes, e está presente em 219 das 226 dioceses do país.

Desta expressão da Igreja católica procedem por exemplo o médico e sacerdote beato Pere Tarrés i Claret (1905-1950), Pina Suriano (1915-1950) --também beata, leiga consagrada--, o jovem político beato Alberto Marvelli (1918-1946) e Santa Gianna Beretta Molla (1922-1963), mãe de família.