Bento XVI solidário com México

Mensagem de bispos da França e do próprio país

| 1173 visitas

VILLAHERMOSA, quinta-feira, 8 de novembro de 2007 (ZENIT.org-El Observador).- Bento XVI manifestou sua proximidade e solidariedade com o México após as dramáticas inundações que atingiram o Estado de Tabasco.



Em uma mensagem enviada em nome do Papa pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, a Dom Benjamin Castillo Plascencia, bispo de Tabasco, Sua Santidade «oferece sufrágios ao Senhor pelo eterno descanso dos falecidos».

Bento XVI pede ao bispo que «expresse seus sinceros pêsames aos familiares dos falecidos, assim como os sentimentos de sua paterna proximidade espiritual aos feridos e a quem se viu privado de suas coisas, convidando ao mesmo tempo as instituições e pessoas de boa vontade a prestar aos afetados a ajuda eficaz, com caridade e espírito de solidariedade cristã».

«Com estes desejos, o Santo Padre envia aos danificados e a quem os socorre a confortadora Bênção Apostólica», conclui o telegrama.

A Conferência do Episcopado Francês também se solidarizou com o México, através de Dom Marc Stenger, bispo de Troyes e encarregado do serviço para a América Latina da própria Conferência.

Os bispos franceses recordam – no comunicado dirigido ao presidente da Conferência do Episcopado Mexicano (CEM), Dom Carlos Aguiar Retes – a importância de fomentar entre todos os cidadãos, especialmente entre os mais pobres, uma cultura da prevenção, a mesma à que havia aludido no domingo passado o arcebispo primaz do México, cardeal Norberto Rivera Carrera.

Por sua parte, no âmbito nacional, o bispo de San Cristóbal de las Casas, Dom Felipe Arizmendi Esquivel, dedicou seu comentário semanal à tragédia de Tabasco e de Chiapas, que mantém sem lar cerca de um milhão de pessoas.

«Ante a magnitude do desastre em Tabasco e parte de Chiapas pelas recentes inundações – escreve Dom Arizmendi Esquivel – apareceu o mais nobre de nossa pátria, que é a solidariedade generosa.»

«Empresários, legisladores, autoridades civis, o exército mexicano, organizações e sobretudo os pobres manifestaram sua proximidade aos que sofrem», aponta Dom Arizmendi Esquivel, que mais adiante faz um reconhecimento aos meios de comunicação do país, pois, em sua opinião, «fizeram um serviço de primeira magnitude, que devemos reconhecer».

Finalmente, o bispo de San Cristóbal de las Casas reconhece que tanto a Igreja Católica como as demais denominações religiosas, «estamos fazendo o que nos corresponde, ainda que não apareçamos nos noticiários».

Por outro lado, Dom José Luis Chávez Botello, arcebispo de Antequera – Oaxaca, escreveu que a tragédia pela qual Tabasco passa «é em si mesma um chamado à unidade e à solidariedade de todos os mexicanos».

Também, afirma Dom Chávez Botello, é «uma oportunidade de sentir-nos e de atuar como irmãos especialmente dos mais necessitados, dos que sofrem (...); uma oportunidade de reflexão para compreender que ante os graves problemas sociais que nos afetam, sejam por causas naturais ou de outra origem, é necessária a colaboração de todos para superá-los».

Por sua parte, o presidente da CEM, Dom Aguiar Retes, reiterou o convite para que a Igreja Católica do México faça uma coleta nacional «e manifestemos nossa solidariedade, além de unir-nos em oração aos nossos irmãos afetados».