Bispo Nobel da Paz saúda premiado de 2010

D. Ximenes Belo espera mudança de atitude nos dirigentes políticos chineses

| 1333 visitas

ROMA, sexta-feira, 8 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – Dom Carlos Filipe Ximenes Belo, bispo católico timorense co-laureado Prêmio Nobel da Paz 1996, expressou sua satisfação pela atribuição do Nobel da Paz 2010 ao dissidente chinês Liu Xiaobo, reconhecido pelo Comitê do Prêmio “pela sua longa luta de não-violência pelos Direitos fundamentais”.

“Pessoalmente, regozijo-me com esta atribuição e espero que a Comunidade Internacional possa continuar a pressionar o Partido Comunista Chinês no sentido de encetar um caminho de verdadeira democratização do país e de reformas políticas neste grande País”, afirma o administrador apostólico emérito de Dili (Timor Leste), em nota difundida nesta sexta-feira por Agência Ecclesia.

Segundo recorda o bispo católico, o sr. Liu Xiaobo, 54 anos, é co-autor do Documento “Charter 8”, publicado em dezembro de 2008.

“Nesse Documento os autores e milhares de signatários chineses apelavam ao Governo para acabar com o domínio político do Partido Comunista Chinês, fazer as reformas políticas e sociais e, ter o compromisso de respeitar as liberdades e os direitos fundamentais do Homem.”

Por causa disso – escreve Dom Ximenes Belo, “o sr. Liu foi condenado a onze anos de prisão. Como sempre acontece, as grandes reformas na vida dos povos e das nações, às vezes, exigem sacrifícios, prisões e mortes. E, ao longo destes anos, já foram muitos os Mártires da Liberdade, na China”.

“Que este reconhecimento internacional contribua para alguma mudança de atitude nos dirigentes políticos chineses”, deseja o bispo.