Bispos católicos e anglicanos advertem sobre riscos da revolução digital

A tecnologia sem responsabilidade pode gerar uma nova «Torre de Babel»

| 617 visitas

Por Inmaculada Álvarez

LONDRES, sexta-feira, 4 de julho de 2008 (ZENIT.org).- O aumento exponencial da oferta da informação, gerado pela revolução digital, pode criar uma moderna «Torre de Babel». É a conclusão a que chegaram tanto os bispos católicos ingleses como a Igreja da Inglaterra, em mensagens divulgadas nos últimos dias.

Tanto a Igreja Anglicana como a Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales haviam sido convidadas a pronunciar-se sobre um informe da OFCOM, a Autoridade Inglesa para as Telecomunicações, que tratava sobre as perspectivas da televisão na Grã-Bretanha. Ambos episcopados coincidiram em dar o mesmo diagnóstico.

Na apresentação conjunta das respostas, o bispo anglicano de Manchester, Nigel McCulloch, e o bispo auxiliar católico de Westminster, Dom John Arnold, coincidiram em afirmar que, «sem um forte e vibrante conteúdo de serviço público, a televisão depois da revolução digital pode semear confusão e desconfiança mais que ajudar o serviço público e a coesão social».

«As vozes dos cada vez mais numerosos canais e a proliferação de conteúdos na internet podem gerar uma desconcertante cacofonia», advertem.

Ambos episcopados pedem que as autoridades «provejam as atuações necessárias para criar e desenvolver uma televisão de serviço público para o bem comum». Crêem que é necessário fundar «novas formas de subsídio para um conteúdo de serviço público».

Esta informação «deve ser acessível desde todas as plataformas: internet, celular e digital».

«O papel de serviço público que ajuda as audiências a terem uma compreensão do que acontece no mundo deve sobreviver. Se a qualidade e amplitude do conteúdo de serviço público diminuem pela revolução digital, a sociedade em seu conjunto sofrerá as conseqüências.»

Segundo explicaram o reverendo McCulloch e Dom Arnold, «existe um risco real de que o fluxo de informação, com a proliferação dos canais de televisão, gere confusão e desconcerto, criando uma moderna Torre de Babel».

Por outro lado, ambos episcopados advertem que um serviço público que não reflete adequadamente as complexas realidades da fé no mundo atual falha em seu propósito de ajudar as pessoas a compreender a si mesmas e suas comunidades».

Neste sentido, agradecem que o informe do OFCOM reconheça o valor social do conteúdo religioso.

Mais informação: www.catholicchurch.org.uk.