Bispos chilenos encorajam os católicos a ser Igreja misericordiosa e sem exclusões

Mensagem do Comitê Permanente da Conferência Episcopal no início da II Assembleia Eclesial Nacional

Madri, (Zenit.org) | 345 visitas

A palavra de Jesus aos seus apóstolos no meio da tempestade, citada no texto bíblico inspirador da II Assembleia Eclesial Nacional, é o título da nova Mensagem dos Bispos do Chile: "Coragem, sou eu! Não tenham medo” (Mt 14,27).

Dirigido a toda a Igreja que peregrina no Chile, a mensagem foi divulgada nesta quarta-feira, 12 de junho, pelo bispo de Valdivia e secretário geral da Conferência Episcopal, dom Ignacio Ducasse, na sessão de abertura da assembleia.

A todos "os que vivem o seu discipulado comprometidos com a missão da Igreja: leigos e consagrados, homens e mulheres que são parte ativa da missão evangelizadora em paróquias, colégios, comunidades eclesiais, movimentos apostólicos e em tantas outras instituições católicas", os bispos expressam a sua gratidão, proximidade e afeto. 

"Sabemos que os desafios da comunidade eclesial não deixam vocês indiferentes. Sabemos que não é fácil proclamar as bem-aventuranças do Reino em uma realidade secularizada e fragmentada. Sabemos também que a nossa fragilidade e o nosso pecado nos acompanham. Por isso, sentimos um dever de nos sustentar reciprocamente, de nos escutar com respeito, de nos apoiar e nutrir no Senhor para recuperar a confiança e continuar caminhando com novo entusiasmo", diz a mensagem.

Os pastores incentivam a comunidade "a continuar se doando por inteiro ao Senhor. Vocês fizeram isto durante toda uma vida e nem sequer nas maiores tormentas claudicaram. Hoje, o nosso coração alberga uma renovada esperança. Junto com vocês, estamos dispostos a caminhar na alegria da nossa vocação cristã, certos da ternura do Pai e da sua misericórdia. Queremos caminhar juntos, ser Igreja de comunhão e participação, na qual ninguém está excluído; Igreja misericordiosa, que ratifica o seu compromisso de servir às pessoas, especialmente aos pobres, aos que sofrem, aos marginalizados e àqueles a quem ela ofendeu".

Os bispos do Comitê Permanente ressaltam que a assembleia recém-aberta é um "poderoso sinal de esperança" e um "marco relevante de comunhão eclesial para a missão de transmitir o tesouro da fé". Neste encontro, prosseguem, "queremos juntos discernir os melhores modos de contribuir ativamente para realizar as transformações que a Igreja e a sociedade chilena demandam, no tocante aos grandes temas que o Comitê Permanente da Conferência Episcopal do Chile colocou sobre a mesa na sua última carta pastoral".

Além de encorajar a busca de caminhos que ajudem a humanizar e compartilhar com equidade o desenvolvimento do Chile, os bispos convidam todos os membros da Igreja a "empreender com confiança os passos audazes que o papa Francisco nos apontou, levando para além dos nossos templos e centros pastorais a mensagem transformadora de Jesus, pão compartilhado, caminho, verdade e vida para este tempo e para os tempos que virão". 

A mensagem termina destacando: "De mãos dadas com Maria, em cujo santuário nos congregamos, sejamos verdadeiramente uma Igreja que escuta, anuncia e serve".