Bispos do Canadá defendem cristão preso no Irã

Governo iraniano deve respeitar a liberdade religiosa, afirmam

| 932 visitas

OTTAWA, sexta-feira, 14 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – Os bispos do Canadá chamaram a atenção sobre a sorte do pastor cristão Youssef Nadarkhani, preso no Irã por ter abraçado a fé cristã e, portanto, por ter “apostatado” da fé muçulmana.

O presidente do Comitê sobre Direitos Humanos, da Conferência Episcopal do Canadá, Dom Brendan M. O'Brien, dirigiu uma carta ao chefe de missão da embaixada da República Islâmica do Irã.

Nela, recorda que, ainda que a condenação à morte do pastor tenha sido anulada, ele continua “em perigo, devido a outros motivos pelos quais está detido”.

Dom O'Brien lamenta também as “pressões exercidas sobre ele para que se arrependa da sua conversão”.

O prelado convidou o governo iraniano a respeitar a liberdade religiosa citando o discurso pronunciado por Dom Mamberti à Assembleia Geral da ONU no último dia 27 de setembro.

Nele, o representante da Santa Sé afirmou que “a falta de respeito à liberdade religiosa representa uma ameaça para a segurança e para a paz”.

“É importante, portanto, que um compromisso comum para reconhecer e promover a liberdade religiosa de cada pessoa e de cada comunidade seja favorecido por um diálogo inter-religioso sincero, promovido e realizado pelos representantes de diferentes confissões religiosas e apoiado pelos governos e pelas instâncias internacionais”, declarou então Dom Mamberti.

“Neste espírito – conclui a carta de Dom O'Brien –, pedimos que seu governo respeite seus compromissos internacionais com os direitos humanos e que o pastor Nadarkhani, assim como todas as demais pessoas que vivem uma situação similar em seu país, sejam tratadas conforme o artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.”