Bispos dos EUA financiam 112 projetos na América Latina

Recursos para a construção da paz na Colômbia ou para a formação de seminaristas no Peru, são alguns dos projetos beneficiários

Roma, (Zenit.org) Redacao | 392 visitas

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos anunciou a destinação de US $ 1,7 milhões de dólares para apoiar 112 projetos na América Latina e no Caribe. "Graças à generosidade dos católicos de todo o país, podemos continuar com o nosso apoio à Igreja na América Latina", anunciou em nota o Bispo Auxiliar de Seattle, mons. Eusébio Elizondo, presidente da subcomissão da Conferência Episcopal, encarregado desta região.

"É bonito, presenciar a partilha dos recursos nos Estados Unidos com as dioceses da América Latina mais isoladas e expostas financeiramente. Vemos que estas ajudas estão gerando recursos e, o mais importante, é que esses projetos de fundos de subsídios fortalecem e incentivam as pessoas, permitindo-lhes crescer em sua fé e compartilhá-la com os outros".

Os países que se beneficiarão desses fundos são: Colômbia, Haiti, Peru, República Dominicana, México, Brasil e Nicarágua. Na Colômbia, a Igreja se comprometeu a apoiar as organizações de jovens que trabalham "para construir a paz frente à violência local causada pela guerrilha". No Peru, por exemplo, vão apoiar os seminaristas que vêm de famílias muito pobres e de grupos étnicos indígenas do país. Enquanto isso, no Brasil, os missionários receberão formação e apoio para o seu trabalho com as comunidades indígenas da Amazônia. Outros projetos financiados incidirão sobre a formação dos catequistas leigos e das necessidades pastorais criadas pela migração. Além disso, alguns projetos lidam com educação e formação das comunidades de religiosas e pastoral das famílias.

Além disso, graças à generosidade e sensibilidade dos católicos norte-americanos, os bispos aprovaram seis projetos para a "reconstrução da Igreja no Haiti", com uma contribuição de quase US $ 3 milhões de dólares.

"A Igreja no Haiti está passando por um período de reconstrução e de renovação depois do terremoto de 2010", disse o arcebispo Thomas Wenski de Miami, presidente da subcomissão Haiti Advisory Group. “Temos que continuar comprometidos para caminhar com os nossos irmãos e irmãs na fé, e apoiá-los com estes projetos de construção até que consigam ter de novo lugares para o culto”, disse o prelado. (Trad.TS)