Bispos dos EUA pedem novena pelo Haiti

Os Cavaleiros de Colombo continuam ajudando as crianças mutiladas

| 769 visitas

WASHINGTON D.C., terça-feira, 11 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB, na sigla em inglês) convidou os fiéis a pedir ajuda a Nossa Senhora de Guadalupe para o Haiti, um ano depois do devastador terremoto que destruiu a capital do país caribenho, Porto Príncipe.

O arcebispo de Miami, Dom Thomas Wenski, presidente do Grupo Assessor Especial para o Haiti na USCCB, confirmou que, um ano após o terremoto de 12 de janeiro, a ilha ainda precisa de “orações e solidariedade”.

O arcebispo destacou a solidariedade entre os católicos em todo tipo de organizações, relembrando “os acontecimentos trágicos daquela fatídica tarde” e pedindo uma resposta “cheia de fé”.

A USCCB convida os católicos a começar uma novena a Nossa Senhora de Guadalupe no aniversário da tragédia, na próxima quarta-feira. A novena será encerrada com uma missa no fim de semana de 22 e 23 de janeiro, datas oficiais da coleta nacional para a América Latina, que inclui o Haiti e todo o Caribe.

Mudando uma vida

No aniversário da tragédia, os Cavaleiros de Colombo também continuam empenhados no seu programa Healing Haiti's Children.

Os Cavaleiros contribuíram com mais de um milhão de dólares na ajuda ao Haiti, especificamente mediante o seu programa de implantação de próteses e de reabilitação, que é oferecido durante dois anos, sem nenhum custo, a crianças que sofreram alguma amputação durante o terremoto. Os Cavaleiros contam com a parceria do Project Medishare.

“É uma honra conseguirmos dar esse presente de esperança às crianças do Haiti”, disse o Cavaleiro Supremo Carl Anderson. “É difícil explicar o que significa você fazer uma coisa que muda a vida para sempre. E devolver os movimentos consegue justamente isso! Poucas coisas conseguem mudar tanto a vida de uma criança como recuperar a capacidade de se movimentar livremente”.

Mais de cem crianças receberam próteses e começaram a fisioterapia. Outras centenas ainda receberão próteses mediante o programa.

Existe, no entanto, uma situação que exige atenção especial: as crianças que recebem os membros protéticos estão em fase de crescimento; por isso, precisam de mais duas ou três próteses ao longo de um ano. “Isso é fundamental para que elas retomem a vida delas e continuem o trabalho de recuperação dos membros”, disse o Dr. Bart Green, fundador do Project Medishare.

“O Project Medishare tem orgulho de colaborar com os Cavaleiros de Colombo”, afirmou ainda. “Graças a essa parceria, nós conseguimos levantar centenas de crianças haitianas das cadeiras de rodas para enfrentarem os muitos desafios desta nação devastada”.