Bispos dos EUA sobre o combate às drogas no México: Não basta o apoio militar de Washington

É necessário fortalecer os direitos humanos e criar alternativas à criminalidade, com trabalho para agricultores e jovens

Roma, (Zenit.org) Redacao | 274 visitas

Os presidentes de duas comissões da Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB) definiram como “contraproducente” a ênfase excessiva dos EUA na estratégia militar para combater as drogas no México.

“Os gastos deveriam focar nos esforços para proteger os direitos humanos, fortalecer a sociedade civil e ampliar os níveis humanitários e de desenvolvimento”, diz a carta assinada por dom Thomas Wenski, arcebispo de Miami e presidente da comissão para Justiça Interna e Desenvolvimento Humano, e por dom Richard Pates, bispo de Des Moines (Iowa) e presidente da comissão internacional Justiça e Paz.

A agência Fides informa que a carta foi enviada ao secretário de Estado norte-americano, John Kerry, pedindo um reexame nas prioridades de financiamento e na coordenação dos esforços governamentais dos Estados Unidos e do México no combate ao narcotráfico através do compromisso conjunto batizado de “Iniciativa Mérida”.

Os bispos também pedem o fortalecimento da justiça mexicana e o fomento de oportunidades econômicas e educativas no México, a fim de gerar alternativas à criminalidade e promover o desenvolvimento agrícola e a criação de emprego para os jovens.

“O apoio à segurança deve ser dado, mas também sentimos a necessidade urgente de mais ajudas exteriores dos Estados Unidos destinadas à consolidação dos direitos humanos, à promoção de uma sociedade civil justa e humana e ao desenvolvimento econômico amplo”, escreveram os bispos.