Bispos dos países do G8 pedem «audaz ação contra pobreza global»

Recordam aos países ricos seus compromissos sobre a ajuda exterior

| 1136 visitas

LONDRES, terça-feira, 5 de junho de 2007 (ZENIT.org) .- Recordando os compromissos feitos na última reunião de Gleneagles, em 2005, de gastar 60 bilhões extras em ajuda exterior, os bispos católicos dos países do G8 fizeram um chamado a uma «audaz ação contra a pobreza global».



Escrevendo por ocasião da reunião do G8 na Alemanha esta semana, as Conferências Episcopais da França, Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Rússia, Inglaterra e Gales, entre outras, uniram-se para fazer um chamado a seus líderes políticos para que cumpram os compromissos que fizeram há dois anos.

Tais compromissos são citados na carta assinada pelo cardeal Cormac Murphy-O’Connor, presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales, enviada ao primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair.

O cardeal recordou aos líderes do G8 sua «obrigação moral» de cumprir suas promessas.

«Nós os instamos a pôr em prática a obrigação moral que todos nós compartilhamos pelo bem-estar de cada pessoa humana, mas também porque substituir o desespero pela esperança na África nos conduzirá a um mundo mais seguro para todas as nações», afirma o cardeal em sua carta.

Na reunião do G8 de Gleneagles em 2005, os países mais ricos do mundo prometeram gastar 60 bilhões de dólares adicionais cada ano em ajuda exterior até 2010, com a metade da soma dedicada à África.

Contudo, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) informa que os níveis de ajuda exterior permaneceram congelados durante todo o ano 2006, apesar das promessas.