Bispos europeus: o mundo procura a esperança que a Igreja tem

Termina a assembleia anual dos presidentes das conferências episcopais da Europa

Roma, (Zenit.org) | 364 visitas

A assembleia anual dos presidentes das conferências episcopais da Europa, ocorrida em Bratislava de 3 a 6 de outubro, tratou de temas como a diferença entre laicidade e laicismo, a participação ativa da Igreja no debate político, a crise sócio-econômica de muitas nações europeias e a necessidade dos cristãos europeus de desenvolver um agir social que manifeste a sua identidade de fé baseada na esperança.

Durante o encontro, dom Duarte da Cunha foi reeleito secretário geral do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), cargo que manterá durante os próximos 5 anos. A assembleia aconteceu este ano em Bratislava, na Eslováquia, por ocasião dos 1150 anos da chegada dos santos Cirilo e Metódio à região. Participaram, entre outros, o prefeito da Congregação para os Bispos, cardeal Marc Ouellet, e o núncio apostólico na Eslováquia, dom Mario Giordana.

Em mensagem ao cardeal Peter Erdo, presidente da CCEE, o papa manifestou o seu apreço pelas conferências episcopais do continente, em particular pela sua contribuição à reflexão sobre a laicidade e pela promoção de uma cultura “em constante harmonia entre fé e razão, verdade e liberdade”. Os presidentes agradeceram ao Santo Padre pelo testemunho e pelo exemplo missionário em uma carta que expressa a sua profunda comunhão com o sucessor de Pedro.

Os temas centrais da reunião em Bratislava foram o espaço para a religião e o papel das comunidades religiosas nas sociedades europeias, que se debatem entre laicidade e laicismo.

Em mais de uma ocasião, como anuncia o comunicado de imprensa da CCEE, os bispos expressaram a crença de que a esperança que a Igreja tem é algo que o mundo está procurando. Esta mesma esperança deve dar aos cristãos a coragem de encarar situações difíceis com um espírito de abertura às perguntas das pessoas, considerando primeiro a missão evangelizadora da Igreja, que, seguindo o seu Senhor, é interpelada em tudo o que diz respeito à vida do homem. Os bispos devem manter uma atitude positiva e proativa na dinâmica social, em áreas prioritárias que exigem uma reflexão clara da Igreja: educação, pastoral juvenil, pastoral familiar e atenção à família e ao emprego, especialmente entre os jovens.

Para os bispos, uma laicidade sadia garante a liberdade de anunciar o evangelho e a doutrina social da Igreja, fonte da herança de esperança e de humanismo que alicerça a civilização europeia.

A assembleia plenária reunida na capital eslovaca identificou desafios e urgências em comum, entre as quais a questão dos refugiados que chegam à Europa, e exigiu dos países europeus uma solidariedade efetiva para que não se repitam situações como a recente tragédia de Lampedusa, onde mais uma barcaça com imigrantes clandestinos que tentavam chegar da África à Itália naufragou, matando dezenas de pessoas. Os bispos também pediram solidariedade para debelar a crise econômica em vários países da Europa, onde as comunidades cristãs recebem muitos pedidos de ajuda que não conseguem atender por falta de recursos. Igualmente, o chamado à solidariedade entre países ricos e pobres marcou presença durante toda a assembleia.