Bispos maronitas preocupados com mundo árabe

Comunicado após uma reunião em Bkerke (Líbano)

| 970 visitas

BEIRUT, terça-feira, 8 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - A situação nos países árabes suscita “preocupação e ansiedade”, afirmaram os bispos maronitas, depois de uma reunião celebrada no dia 2 de fevereiro em Bkerke (Líbano).

Os prelados desta Igreja sui iuris, que se reúnem todo mês sob a presidência do cardeal Pierre Nasrallah Sfeir, patriarca de Antioquia dos Maronitas, analisaram em seu último encontro a situação da região, e especialmente os últimos acontecimentos do Egito e da Tunísia.

No comunicado, referem-se aos últimos acontecimentos de ambos países, afirmando que “há golpes de Estado e revoluções em que as pessoas saíram às ruas para derrubar os governantes”.

Deplorando o “derramamento de sangue”, os bispos pedem que se evitem “outras turbulências na região”, e que os responsáveis “trabalhem para levar a justiça e a paz para seus países”.

Por outro lado, a respeito da situação de seu próprio país, em que acaba de se produzir uma mudança de governo, os bispos consideram que a situação “é ainda boa, apesar de sua complexidade”, e desejam ao novo primeiro-ministro, Najib Mikat, “êxito em sua missão para enfrentar o status quo com sabedoria e firmeza”.

Os bispos agradeceram Bento XVI “por seu gesto generoso”, ao dispor que se coloque uma estátua do fundador desta Igreja sui iuris, São Maron, em um dos nichos da parte exterior da Basílica de São Pedro.

A estátua é obra do artista espanhol Marco Augusto Dueñas, autor também da escultura da santa espanhola Rafaela Porras, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, abençoada pelo Papa no dia 20 de janeiro de 2010, e colocada no mesmo lugar do Vaticano.