Bolívia: Bispos condenam a violência

Manifestações em prol de território indígena têm causado conflitos

| 655 visitas

LA PAZ, sexta-feira, 6 de julho de 2012 (ZENIT.org) - Os bispos da Bolívia divulgaram um comunicado em que condenam a violência nas manifestações em defesa do Território Indígena e Parque Nacional Isiboro-Secure (TIPNIS).

A Secretaria Geral da Conferência Episcopal Boliviana, “assim como toda a população boliviana, vê com profunda preocupação e indignação a situação de enfrentamento entre irmãos na comunidade de Mallku Khuta, assim como a repressão exercida pelas forças da ordem contra a vigília dos manifestantes em defesa do Território Indígena e Parque Nacional Isiboro-Secure (TIPNIS), muitos deles mulheres e crianças, como é de conhecimento público”.

Em reiteradas ocasiões, “a Igreja Católica condenou o uso da violência por considerá-la inútil e contrária à dignidade de toda pessoa e ao exercício dos seus direitos fundamentais. A violência nunca contribuiu para a solução de nenhum problema e constitui um grave atentado contra a vida, que é dom sagrado de Deus”.

“Um diálogo responsável não deve se restringir a uma só maneira de ver e de entender os acontecimentos. A natureza do diálogo pressupõe abertura e renúncia a posturas inflexíveis, assim como a coexistência, a disposição de ouvir e o respeito recíproco de visões e propostas como meio idôneo para se obterem as soluções desejadas, a serviço da dignidade das pessoas e do bem comum de toda a sociedade”.

Em nome da Igreja boliviana, o comunicado enfatiza: “Condenamos veementemente os atos de violência registrados nos últimos dias e exigimos mais uma vez das autoridades responsáveis e dos setores envolvidos um verdadeiro diálogo que leve em conta todos os pontos de vista sobre uma determinada problemática, evitando medidas que dividam as comunidades, o enfrentamento entre irmãos e as desqualificações mútuas”.

O texto termina expressando “a nossa viva solidariedade para com as vítimas destes atos de violência, pois o seu sofrimento não nos é indiferente. 'Bem-aventurados aqueles que choram, porque serão consolados'. Que o Senhor da Vida ilumine os nossos governantes e dirigentes sociais e torne possíveis melhores dias de entendimento, justiça social, respeito e convivência pacífica para todos os bolivianos”.

(Trad.ZENIT)