Brasil: Igreja pede solidariedade com vítimas das chuvas

Mais de 500 mortos; Cáritas canaliza as doações

| 1479 visitas

SÃO PAULO, sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - A Igreja no Brasil pediu que os fiéis sejam solidários com as vítimas das chuvas torrenciais que deixaram mais de 500 mortos na região serrana do Estado do Rio de Janeiro.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) manifesta a “tristeza profunda” do episcopado diante do quadro de falecimentos, desabrigados e destruição de casas e bens.

“Às vítimas desta dramática situação a CNBB vem manifestar sua solidariedade, ao mesmo tempo em que conclama a sociedade brasileira a intensificar suas doações, a fim de aliviar a dor e reavivar a esperança na certeza da superação de tamanha tragédia”, afirma a nota, assinada pela presidência do organismo, liderado pelo arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha. 

A CNBB informa que a solidariedade dos fiéis será canalizada pela campanha SOS Sudeste, coordenada pela Cáritas Brasileira.

Em sua nota, a CNBB lamenta o fato de que “muitas destas tragédias poderiam ser evitadas ou, pelo menos, minimizadas se ações preventivas fossem tomadas, considerando o histórico de regiões que, ano após ano, vivem o mesmo drama”.

A CNBB diz confiar “que as autoridades competentes se comprometam eficazmente na busca de solução para que catástrofes como estas a que assistimos não se repitam, vitimando milhares de pessoas”.

O episcopado afirma ainda elevar “a Deus nossas preces pelos que morreram e por todos que sofrem com esta tragédia”.

O presidente da Cáritas Brasileira, Dom Demétrio Valentini, afirma que, “em momentos como este, todos nos sentimos envolvidos, identificados com o sofrimento de tantas pessoas, que se vêem atingidas por esta fatalidade inesperada”.

“De imediato, expressamos nossa solidariedade com todos os envolvidos nesta tragédia, incentivamos a todos os que estão procurando prestar os primeiros socorros, confiamos nas iniciativas do poder público, e na soma de esforços de todos, tão necessária em momentos como este”, afirma o bispo.

A Cáritas sugere que se faça uma coleta comunitária nas igrejas, em dia escolhido por cada diocese. Como data conveniente, propõe-se o último domingo deste mês, dia 30 de janeiro.

“Com nossa solidariedade fraterna queremos diminuir o sofrimento dos que sofrem mais de perto as consequências desta tragédia, cujas lições nos apontam o caminho das responsabilidades que precisam ser assumidas por todos”, diz Dom Demétrio.

Tragédia

Chuvas torrenciais atingiram esta semana vários Estados do Brasil. A região serrana do Estado do Rio de Janeiro foi a área mais atingida.

Na região abrangida pelas dioceses de Petrópolis e de Nova Friburgo, o número de mortos já ultrapassa 500.

Grandes deslizamentos de terra, enchentes e enxurradas deixaram 225 mortos em Nova Friburgo, 223 em Teresópolis, 41 em Petrópolis, 17 em Sumidouro e 4 em São José do Vale do Rio Preto, segundo informações oficiais do início da tarde desta sexta-feira.

Cerca de 8 mil pessoas estão desalojadas – puderam seguir para casas de familiares ou amigos – e 6 mil, desabrigadas – tiveram de ir para abrigos públicos –.

Trata-se do maior desastre natural registrado no Brasil envolvendo chuvas.

O bispo de Petrópolis, Dom Filippo Santoro, descreve a situação como dramática.

"A situação é pior do que aquilo que se vê pela televisão", disse o bispo à Rádio Catedral, do Rio de Janeiro.

“A força da água é de um mês, mas caiu em uma noite, poucas horas, e destruiu tudo, casa de pobre, restaurante, pousada, é uma coisa desoladora, é como se tivesse acontecido um terremoto”, afirmou.

Em Nova Friburgo, o bispo local, Dom Edney Gouvêa Mattoso, afirmou que a Igreja procura “somar esforços com órgãos de governos, instituições, porque a situação é muito grave mesmo”.

“As ruas estão cheias de pessoas desnorteadas, não sabem o que vão fazer, perderam suas casas. Estamos disponibilizando as paróquias para as vítimas ficarem”, disse.

O prédio da Mitra Diocesana está ameaçado por outro prédio, que corre o risco de ruir. O bispo está hospedado no Colégio das Irmãs de Santa Dorothéa, porque a casa episcopal está próxima a uma área de risco.

--- --- ---

Na internet, informações para doações em: http://www.caritas.org.br/ (Contas para donativos: Caixa Econômica Federal – AG. 1041 – OP. 003 – C/C 1490-8; Banco do Brasil – AG. 3475-4 – C/C 32.000-5; CNPJ da Cáritas Brasileira: 33.654.419/0001-16)

Outras informações em: http://mitranf.org.br/index.aspx / http://www.diocesepetropolis.org.br