Brasil: Jovens partem em missão para Amazônia

Grupo viaja no contexto da Campanha da Fraternidade da Igreja no país

| 999 visitas

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, quinta-feira, 5 de julho de 2007 (ZENIT.org).- Um grupo de 14 rapazes e moças da Diocese de São José dos Campos (98 km de São Paulo, sudeste do Brasil) parte este domingo para um período de 20 dias em missão na Prelazia de Tefé, no coração da Amazônia.



Os jovens prosseguem de uma das regiões mais prósperas do país, com seu parque industrial e infra-estrutura, para enfrentar quatro horas de vôo e mais 36 de barco pelos veios do Rio Solimões, que forma, junto ao Rio Negro, o Amazonas.

Liderados pelo padre Paulo Renato, coordenador de Pastoral da Diocese de São José dos Campos, os jovens serão recebidos na Amazônia pelo bispo de Tefé, Dom Sérgio Eduardo Castriani, que é o responsável na CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) pelo setor de ação missionária.

Os rapazes e moças acompanharão os trabalhos apostólicos nas áreas ribeirinhas dos municípios de Tefé e Alvarães, circunscritos na Prelazia que se estende por uma área equivalente ao território da Itália sem as ilhas, com 90% de florestas.

Nessa área que compreende 10 municípios, a cidade de Tefé é a mais significativa, com seus cerca de 80 mil habitantes.

Uma característica da Prelazia é justamente a população ribeirinha, descendente dos seringueiros, dos castanheiros, que vem de um passado extrativista. Há ainda a presença indígena, com 14 etnias espalhadas em 32 áreas indígenas.

O principal transporte é o barco, único meio capaz de percorrer os rios, lagos e igarapés para alcançar as 400 comunidades que se estendem às margens do Solimões.

A embarcação também será o principal local de hospedagem dos jovens missionários. Eles dormirão em redes e terão uma alimentação baseada em peixe de água doce, açaí e farinha de mandioca, mantimentos típicos da região.

Desde os anos 70 a Prelazia vem investindo na formação de catequistas locais, já que os seus menos de 15 sacerdotes conseguem atender os fiéis apenas num sistema de visitas periódicas. O próprio bispo passa boa parte do ano percorrendo de barco as comunidades para prestar seu atendimento apostólico e fortalecer o povo na fé.

Nesse sentido, os jovens missionários pretendem contribuir levando seu alento e solidariedade aos irmãos amazonenses. Por outro lado, vivenciarão a realidade de ser discípulo de Jesus Cristo em área remota. Quando retornarem, participarão de palestras e oficinas para comunicar sua experiência.

«A vida com Deus é um constante chamado, onde a nossa resposta é o primeiro passo de amor e realização da obra de Deus rumo a nossa missão», comentou com Zenit Marcela Cristina Montalto, de 17 anos.

«Cristo nos chama a remar para águas mais profundas. Isso me mostra que eu não posso ficar parada, por isso aceito com alegria o chamado a fazer missão na Amazônia», disse, por sua vez, Gabriela Luiza Ribeiro, de 24 anos.

Todos os jovens destacam o desejo de aprender sobre a realidade amazônica, com seus candentes temas ambientais, sua imensa riqueza natural e, muitas vezes, a contrastante pobreza de sua população. Apontam ainda a possibilidade de travar novas relações humanas pautadas no amor a Cristo e a seu Evangelho.

«Viveremos momentos de comunhão da Diocese de São José dos Campos com a Prelazia de Tefé», destacou o seminarista Valdelino Silva dos Santos.

Desde Tefé, os jovens enviarão boletins de suas jornadas de apostolado, que serão atualizados no site da Diocese de São José (http://www.diocese-sjc.org.br/).

Fraternidade
Batizada de «Projeto Amazônia», a iniciativa missionária se circunscreve no contexto da Campanha da Fraternidade da Igreja no Brasil em 2007, que teve por tema, durante o período de Quaresma, «Fraternidade e Amazônia – Vida e Missão Neste Chão». O projeto conta com o apoio da Cáritas Diocesana, que custeará os gastos da viagem, por meio de um Fundo de Solidariedade.