Brasil: Missa de um ano de falecimento de Dom Luciano Mendes de Almeida

Nesta segunda-feira, em Mariana (Minas Gerais)

| 774 visitas

MARIANA, domingo, 26 de agosto de 2007 (ZENIT.org).- Nesta segunda-feira, dia 27 de agosto, a arquidiocese de Mariana (Minas Gerais, sudeste do Brasil) celebra um ano de falecimento de Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, que faleceu no dia 27 de agosto de 2006, no Hospital das Clínicas em São Paulo. O arcebispo esteve à frente da arquidiocese de Mariana por 18 anos.



Segundo informa o Departamento Arquidiocesano de Comunicação, o atual arcebispo de Mariana e presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Dom Geraldo Lyrio Rocha, convida a todos para as solenidades que marcarão esta data. Dom Geraldo irá presidir a missa que será realizada na Catedral da Sé, em Mariana.

A partir das 16h desta segunda-feira, serão lançados os livros: Doctor Amoris Causa, obra elaborada pelo Instituto Santo Inácio e Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (ISI), e Dom Luciano, o irmão do outro, que tem como autor Candido Mendes, irmão de Dom Luciano.

O lançamento acontece em sintonia com a inauguração do Memorial dos Bispos de Mariana - seção Dom Luciano, que será instalado no Centro Cultural Dom Frei Manoel da Cruz, antigo Palácio dos Bispos, recentemente inaugurado.

A Celebração Eucarística que deverá ser realizada no mesmo dia por todas as paróquias da arquidiocese, por sugestão de Dom Geraldo Lyrio, acontece na Catedral Metropolitana de Mariana (Catedral da Sé), a partir das 19h.

Trajetória
Nascido no dia 5 de outubro de 1930, no Rio de Janeiro, Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, ainda jovem, entrou para Companhia de Jesus. Estudou filosofia em Nova Friburgo (RJ) de 1951 a 1953 e, em Roma, fez seus estudos de teologia de 1955 a 1958. Doutorou-se em filosofia no ano de 1965. Nomeado bispo auxiliar de São Paulo, recebeu a ordenação episcopal no dia 2 de maio de 1976.

Destacou-se no trabalho frente à CNBB como secretário-geral de 1979 a 1987 e como presidente de 1987 a 1994. Foi membro do Conselho Permanente do Sínodo Episcopal desde 1987, membro da Pontifícia Comissão Justiça e Paz desde 1992, vice-presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano) de 1995 a 1998. Antes de receber a indicação para assumir o governo da arquidiocese Igreja de Mariana, foi bispo auxiliar na arquidiocese de São Paulo, na região Leste I, de 1976 a 1988.