Bruxelas acolhe conferência sobre “perseguição dos cristãos”

Europa não pode permanecer indiferente aos sofrimentos dos cristãos

| 1066 visitas

BRUXELAS, quinta-feira, 7 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – “A liberdade religiosa deve-se integrar nas políticas exteriores da União Europeia”, afirma uma declaração apresentada por deputados europeus com motivo da conferência sobre perseguição dos cristãos, celebrada nessa terça-feira no Parlamento Europeu, em Bruxelas. O ato teve o apoio da Comissão dos Episcopados da Comunidade Europeia (COMECE).

A declaração será submetida ao plenário do Parlamento Europeu nas próximas semanas. Para ser aprovada, terá de receber assinaturas de 380 membros do Parlamento, em três meses.

Com motivo desta conferência, o secretariado da COMECE apresentou seu relatório sobre a liberdade religiosa. O estudo recorda que “o direito à liberdade religiosa está estreitamente ligado aos demais direitos fundamentais. O respeito à liberdade religiosa é como um ‘teste’ para a observação dos direitos fundamentais”.

“Violações do direito à liberdade religiosa ou de crença acontecem em todo mundo e afetam mais de cem milhões de cristãos por ano”, destaca a associação cristã Open Doors International.

Segundo as últimas estatísticas – afirma o organismo ao serviço da Igreja perseguida – em 2010, os dez países nos quais os cristãos foram mais perseguidos pela sua fé são: Coreia do Norte, Irã, Arábia Saudita, Somália, Maldivas, Afeganistão, Iêmen, Mauritânia, Laos e Uzbequistão.