Caminho Neocatecumenal: 40 mil jovens em missão

No contexto da Jornada Mundial da Juventude de Madri

| 1683 visitas

MADRI, sexta-feira, 27 de maio de 2011 (ZENIT.org) - Em preparação da Jornada Mundial da Juventude de Madri, que acontece em agosto, Kiko Argüello e Carmen Hernández, iniciadores do Camino Neocatecumenal, e o padre Mario Pezzi, vão se reunir com 40.000 jovens de toda a Europa.

O encontro será celebrado no dia 29 de maio, na Arena de Düsseldorf, e será presidido pelo cardeal Joachim Meisner, arcebispo de Colônia. Veja a entrevista de Kiko Argüello a ZENIT.

- Porque este encontro preparatório para a JMJ?

Kiko Argüello: A Jornada de Madri será um acontecimento muito importante para o futuro da Europa, e queremos preparar os jovens. Em Madri, haverá cerca de 200.000 jovens das comunidades neocatecumenais de todo o mundo, e cada grupo dedicará alguns dias para evangelizar um bairro ou uma cidade.

- Por que deseja apresentar aos jovens no encontro da Alemanha a sinfonia “O sofrimento dos inocentes”, obra de sua autoria, como reflexão preparatória para a Jornada de Madri?

Kiko Argüello: Nessa pequena obra se mostra a Virgem Maria sob a cruz, contemplando o suplício de seu filho, sempre obediente ao escândalo do sofrimento dos inocentes em sua carne, na carne de seu filho. Que mistério é o sofrimento de pessoas inocentes que pagam pelos pecados dos demais.

- Este concerto foi realizado também em Israel frente a um numero grupo de judeus, que ficaram muito impressionados. Por que, nessa ocasião, dedicou o concerto às vítimas do Holocausto?

Kiko Argüello: Alguns dizem que depois do horror de Auschwitz não se pode crer em Deus. Nietzsche escreveu: “se Deus existe e não ajuda os que sofrem, é um monstro. E se não pode ajudá-los, não é Deus, não existe”. Não. Isso não é certo. Um guarda de Auschwitz conta que quando viu a fila de prisioneiros que iam morrer teve uma dor profunda em seu coração e escutou uma voz que não sabia de onde vinha, que lhe disse: “coloca-te nu em fila com eles e vê a morte”. Isso foi o que Jesus fez. Ele é inocente, completamente inocente, o cordeiro levado ao matadouro que não abriu a boca, ele carregou o pecado de todos. Sustenta-nos a Virgem, que aceita a espada que, de acordo com o profeta Ezequiel, Deus preparou pelos pecados de seu povo, e agora atravessa a alma desta pobre mulher; e também Jesus quando, no jardim de Getsêmani, um anjo o ajuda a beber do cálice preparado para os pecadores. O profeta Ezequiel fala desta espada e deste cálice.

- Que significa essa profecia de Ezequiel?

Kiko Argüello: Deus viu que seu povo, eleito para ser testemunha de seu amor por todos os homens, abandona-o e se torna pior que os demais. Então o profeta enumera a quantidade de pecados cometidos. Deus também tinha dito a seu povo que não se alinhasse com o Egito, que era então o maior poder e, portanto, tinha maior segurança humana, mas que confiasse n’Ele. Mas as pessoas não o escutaram e continuaram até o abismo da violência e da perversão. O profeta tem uma impressionante lista de todas as abominações cometidas, e depois grita: “Espada, espada afiada para matar”. Então chega Nabucodonosor, e a espada entra em Jerusalém, corre sangue pelas ruas, o templo é queimado, e todo povo é exilado para a Babilônia: cumpriram-se todas as profecias de Ezequiel.

- Alguns entendem a profecia da espada como um castigo.

Kiko Argüello: Não, esta espada não é um castigo de Deus. Na realidade, Deus é paciente e evita que o desastre ocorra, porque não quer a morte do pecador, mas que ele se converta e viva. Mas chega um momento em que os homens, com seus pecados, separando-se de Deus, eles mesmos se lançam num abismo.

Um abismo físico, mas que é um abismo moral, que é o inferno, a separação total de Deus. O fato é que chegam a ser tão pérfidos que caem em um abismo de auto-destruição. 

Não só não é um castigo, mas Deus envia seu filho. O Pai envia seu Filho, para que salve os homens deste inferno, e associa sua mãe a esta obra de levar sobre si os pecados. Cristo beberá deste cálice da amargura e o beberá até o fim, para que nós possamos receber o perdão dos pecados; mas sobretudo para que possamos ser curados do inferno mais profundo; e sua mãe o ajuda, deixando o coração ser atravessado pela espada.

- Também o Papa, quando convidou os jovens a irem a Madri, falou do inferno, sobretudo em relação com a situação atual na Europa e no Ocidente.

Kiko Argüello: A situação na Europa e no Ocidente é muito grave. Esta profecia de Ezequiel está sempre presente, também para nós hoje: não pode existir no mundo incesto, matar as crianças como no aborto, roubar, matar... É uma profecia poderosa que a Virgem assumiu acompanhando seu filho sobre a cruz, sobretudo para salvar a humanidade do inferno, porque o maior sofrimento não é a morte física, ou outros desastres: o mais terrível é a morte do espírito. Vemos hoje a enorme quantidade de suicídios que há, o abismo em que afunda o homem e a sociedade, por se separar de Deus.

- Por que esta profecia neste encontro?

Kiko Argüello: Neste evento animarei os jovens a que sejam fortes. Cristo bebeu do cálice e a Virgem se deixou atravessar pela espada. Agora já podemos evangelizar o mundo e dar às pessoas o fruto do cálice de Jesus Cristo e da espada da Virgem: a ressurreição e a vitória sobre a morte.

Em resumo, tudo isso está relacionado com a nova evangelização: dar aos jovens esta alegria e esta força. A música fala das profundidades de nosso ser e nos leva a amar a Virgem, que faz tudo para que possamos evangelizar e salvar a humanidade.

Na Alemanha, o Caminho está presente em 16 dioceses, com 80 comunidades e dois seminários Redemptoris Mater para a Nova Evangelização, nas dioceses de Berlim e Colônia. Há cinco Missio ad Gentes enviadas pelo Santo Padre, duas em Chemnitz e três na diocese de Colônia.

São grupos de famílias numerosas, cada uma acompanhada por um sacerdote, que vão viver em áreas onde a Igreja está ausente. Chemnitz, por exemplo, era a antiga Karlmarxstadt, que seria a cidade modelo do “paraíso” comunista. Ali, os não batizados são 98% da população e eles não sabem quem é Jesus. O comunismo deixou um vazio que não se pode superar politicamente, mas que só Cristo pode preencher. Inclusive na Rússia, nos últimos dias, Putin reconheceu que a maior ameaça para a futuro é a crise da família e a falta de filhos. Ele propôs que não se ofereça o aborto como serviço médico. O cardeal Joachim Meisner, no dia 25 de março de 2011, firmou o decreto para o estabelecimento da missão ad gente em sua diocese, que é uma nova forma de tornar presente a Igreja, não através da paróquia tradicional, mas através de uma comunidade de pessoas que vivem no meio do povo, como era na Igreja primitiva.

O Caminho Neocatecumenal é um caminho de iniciação cristã reconhecido oficialmente pela Igreja Católica para que batizados e não batizados possam iniciar um percurso de fé através do qual possam redescobrir o batismo e realizar uma experiência pessoal de Cristo e da salvação.