Caminho Neocatecumenal: eternamente gratos ao santo padre

Iniciador Kiko Argüello fala da renúncia de Bento XVI

Madri, (Zenit.org) | 2282 visitas

Apresentamos a seguir um breve comentário de Kiko Argüello, iniciador do Caminho Neocatecumenal, divulgado hoje pelo jornal espanhol La Razón, sobre o anúncio do papa Bento XVI de renunciar ao ministério petrino.

***

A notícia realmente me impressionou e eu não poderia evitar a tristeza. O papa nos ama muito; não consigo parar de pensar no quanto! Ainda me lembro do nosso encontro em Tübingen, quando ele era professor na Alemanha, e do quanto ele ajudou a pavimentar a estrada para o Caminho Neocatecumenal naquele país. Ele escreveu uma belíssima carta a dois amigos párocos de Munique, na Baviera, que concordaram em nos receber nas suas paróquias.

Anos mais tarde, ele pediu que as catequeses do Caminho passassem pelo exame da Igreja, para receberem um selo de autenticidade. Ele também aprovou os Estatutos e os passos de todo o percurso neocatecumenal. Enviou muitas famílias à missão, inclusive as primeiras quinze comunidades em missão nas paróquias de Roma que enfrentavam mais dificuldades.

Quando surgiram alguns problemas com os bispos do Japão, ele me disse: "Kiko, não tenhas medo, eu estou aqui para ajudar". Convocou a Conferência dos Bispos do Japão para se reunirem com ele e com alguns cardeais, que eram os presidentes da Congregação para a Doutrina da Fé, do Pontifício Conselho para os Leigos e da Congregação para o Culto Divino e para a Disciplina dos Sacramentos.

O papa fez uma escolha muito humilde e corajosa. Considero um sinal de esperança o fato de que ontem, dia em que ele anunciou a decisão, era aniversário de aparição de Nossa Senhora de Lourdes, a Imaculada Conceição, para Bernadette. Talvez Maria esteja preparando um novo papa que leve adiante a evangelização da Ásia. Eu acho que a Ásia, em particular a China e a Índia, nesta crise econômica global, é muito importante. Naquele continente existem milhões de pessoas que não conhecem Jesus Cristo e, por isso, precisam da evangelização.

O Caminho Neocatecumenal está preparando famílias e sacerdotes para servirem ao novo papa e realizarem a nova evangelização de que Bento XVI tanto nos falou.