Campanha solidária 10 Milhões de Estrelas Um Gesto pela Paz

Cáritas acende em Fátima as velas que serão levadas para as dioceses portuguesas

Fátima, (Zenit.org) | 351 visitas

No próximo domingo, 17 de novembro, representantes das diferentes estruturas diocesanas da Cáritas em Portugal realizam no Santuário de Fátima o momento simbólico que marcará um dos primeiros gestos da campanha solidária “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz”, promovida anualmente no Advento e Natal pela Cáritas. Informa a Assessoria de Imprensa da Arquidiocese de Fátima. 

Este ano, parte das verbas obtidas com a venda das velas apoiará o povo da Síria, atingido por uma guerra civil. No final da eucarística dominical celebrada às 11:00 na Basílica da Santíssima Trindade terá lugar o acendimento das velas pelos vinte responsáveis diocesanos da Cáritas. Presidirá à celebração, transmitida pela estação de televisão TVI, D. Augusto César, bispo emérito de Portalegre-Castelo Branco. 

Em palavras à comunicação social no passado mês de setembro, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, padre Manuel Morujão, anunciou que 35% dos fundos conseguidos através da iniciativa serão encaminhados para aquela região do Médio Oriente, para apoio às populações locais. Os restantes 65% serão aplicados pela Cáritas em projetos de apoio às famílias portuguesas em situação de carência. Recorde-se que, foi no ano de 2003 que, pela primeira vez, Portugal aderiu à operação “10 Milhões de Estrelas”, uma iniciativa de génese francesa que, desde a década de 90, tem vindo a ganhar visibilidade por toda a Europa, sensibilizando para a importância dos valores da paz, da solidariedade e da reconciliação.  

Em concreto, a participação nesta campanha tem em vista a aquisição de uma pequena vela, à venda nos mais diversos espaços comerciais, por um euro; e o seu acendimento no dia de Natal como sinal de anúncio de paz e de amor fraterno. A Cáritas Portuguesa tem como missão o desenvolvimento humano e a defesa do bem comum, através da animação da Pastoral Social, intervindo em ordem à transformação social, fomentando a partilha de bens e a assistência, em situações de calamidade e emergência.