Capela Sistina: cardeais autorizam os preparativos do conclave

Orações em São Pedro: três freiras contemplativas mexicanas fazem adoração na capela do Santíssimo

Roma, (Zenit.org) Sergio Mora | 1119 visitas

“A lei da Igreja sobe o conclave, especificada na constituição apostólica Universi Dominici Gregis, afirma que são os cardeais que devem determinar a data de início do conclave, durante a primeira congregação, que aconteceu nesta segunda-feira, 4 de fevereiro”, informou o porta-voz do Vaticano, pe. Federico Lombardi, aos jornalistas presentes hoje na Sala de Imprensa da Santa Sé.

“Os aspectos técnicos de preparação da capela Sistina estão sob a responsabilidade do governo da Cidade. Tudo já está preparado, mas aguarda-se a autorização para começar”.

Sobre os cardeais participantes, o colégio cardinalício informou ao porta-voz que “em Roma residem 75 cardeais, majoritariamente idosos. São 66 os que não residem em Roma. Alguns já chegaram e os outros deverão chegar nos próximos dias, até o dia seis”.

Devido a impedimentos graves, alguns cardeais não eleitores comunicaram ao colégio de cardeais que não participarão nas congregações gerais. Dentre os cardeais eleitores, dois também confirmaram sua ausência.

O porta-voz do Vaticano também respondeu aos jornalistas sobre a oração pelo papa falecido na missa pro eligendo pontifice, que, no caso da atual sé vacante, será simplesmente suprimida.

Lombardi comunicou ainda que o cardeal Angelo Comastri, vigário geral do papa para a Cidade do Vaticano e arcipreste da basílica de São Pedro, ressaltou “que todos os dias, antes da missa das 17 horas na basílica de São Pedro, é feita uma profissão de fé por ocasião do Ano da Fé, à qual será acrescentada agora uma oração específica pelo colégio de cardeais e pelo conclave”. Além disso, na capela do Santíssimo Sacramento, dentro da basílica, vem sendo feita adoração ao Santíssimo todos os dias. Três religiosas contemplativas mexicanas estão rezando diariamente pelos cardeais, pelo conclave e pelo futuro pontífice.

O porta-voz vaticano para o idioma espanhol, Gil Tamayo, recordou a importância que João Paulo II deu ao conclave na Capela Sistina, perante o afresco do juízo final. O predecessor de Bento XVI abordou a pintura em seus poemas do Tríptico Romano, cuja introdução, escrita pelo então cardeal Joseph Ratzinger, observa, a respeito dos comentários à segunda tábua do tríptico: “A contemplação do juízo universal, no epílogo da segunda tábua, é a parte do Tríptico que talvez mais comova o leitor. Dos olhos interiores do papa emerge, novamente, a lembrança dos conclaves de agosto e de outubro do ano de 1978. Dado que eu também estava presente, sei bem como estávamos expostos àquelas imagens nas horas da grande decisão, e o quanto elas nos interpelavam; como elas insinuavam à nossa alma a grandeza da responsabilidade”.