Cardeais vêem na doutrina social terreno promissor para ecumenismo

Conclusão da reunião do Papa com os membros do colégio cardinalício

| 1342 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 23 de novembro de 2007 (ZENIT.org).- A doutrina social da Igreja, ou seja, a reflexão e o compromisso dos cristãos na vida social, converteu-se em «um dos campos mais promissores para o ecumenismo», constataram nesta sexta-feira os cardeais do mundo inteiro, reunidos junto a Bento XVI.



No encontro, celebrado na véspera do consistório de criação de 23 novos purpurados, sublinhou-se também a necessidade da «purificação da memória» entre os cristãos separados e a importância de não ferir as sensibilidades dos demais.

A reunião, a segunda com estas características neste pontificado, começou com a saudação do cardeal Angelo Sodano, decano do Colégio cardinalício, antigo secretário de Estado, que neste dia celebrava oitenta anos.

O Papa, que o felicitou ante todos os presentes, introduziu o tema da jornada que ele mesmo havia escolhido: «o diálogo ecumênico à luz da oração e do mandato do Senhor: ‘Ut unum sint’».

Segundo explica um comunicado da Sala de Informação da Santa Sé, o informe introduzido foi pronunciado na Sala Nova do Sínodo no Vaticano pelo cardeal Walter Kasper, presidente do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos, que traçou «o panorama atual do diálogo e das relações ecumênicas».

O purpurado alemão analisou três âmbitos principais: «as relações com as antigas Igrejas orientais e as Igrejas ortodoxas»; «as relações com as comunidades eclesiais surgidas da Reforma do século XVI»; «as relações com os movimentos carismáticos e pentecostais que se desenvolveram sobretudo no século passado».

O cardeal Kasper apresentou «os resultados alcançados em cada um destes campos, descrevendo o caminho percorrido até agora e os problemas abertos».

A seguir, abriu-se um debate entre os cardeais «no qual se deu um amplo intercâmbio de experiências e opiniões, que refletiu a variedade das situações».

«Intervieram 17 cardeais e foram abordados diferentes problemas, entre eles, o compromisso ecumênico dos cristãos no campo social e caritativo e na defesa dos valores morais nas transformações das sociedades modernas.»

«Em particular, apresentou-se a doutrina social da Igreja e sua aplicação como um dos campos mais promissores para o ecumenismo».

«Falou-se do compromisso por continuar a ‘purificação da memória’ e de utilizar maneiras de comunicação que prestem atenção à sensibilidade dos demais cristãos.»

«Sugeriu-se aprofundar nas possibilidades dos desenvolvimentos ecumênicos.»

«Foram evocados acontecimentos recentes sumamente significativos, como a Assembléia ecumênica de Sibiu, o encontro ecumênico e inter-religioso, a viagem do patriarca de Moscou Aléxis II a Paris, as grandes reuniões ecumênicas dos movimentos eclesiais em Stuttgart.»

«Falou-se também, em um contexto mais amplo, sobre as relações com o judaísmo e sobre o diálogo inter-religioso», explica o comunicado, ao ilustrar a conclusão da sessão.

A reunião se reiniciou na tarde desta sexta-feira. Após a introdução de Bento XVI, estava previsto um intercâmbio livre de idéias entre os cardeais sobre a vida da Igreja em geral.

A jornada de oração e de reflexão devia concluir com um discurso do Santo Padre.