Cardeal Bertone: agradecimento da Igreja aos Cavaleiros de Colombo

Peregrinação da entidade a Roma

| 894 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 6 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- A fé de Bento XVI e seu amor a Cristo, sua dedicação ao serviço da Igreja e a constante atenção aos problemas da sociedade atual são os elementos sublinhados pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, durante o encontro anual em Roma do conselho de administração dos Cavaleiros de Colombo.

Na presença do cavaleiro supremo, Carl Anderson, e de cardeais, bispos, sacerdotes, dirigentes e membros desta fraternidade, o purpurado interveio no jantar oficial em honra do Papa, organizado em 4 de outro passado, por ocasião da peregrinação anual dos Cavaleiros à sede do sucessor de Pedro.

A peregrinação, segundo informa o jornal vaticano «L’Ossevatore Romano», se enriquece este ano com um ulterior significado espiritual, porque se dá no Ano Paulino, organizado para celebrar os 2 mil anos do nascimento do Apóstolo dos Povos.

Após recordar sua própria participação em uma reunião análoga em 2001 – quando era arcebispo secretário da Congregação para a Doutrina da Fé e colaborava com o então prefeito, o cardeal Joseph Ratzinger –, o secretário de Estado se deteve em seu atual cargo de colaborador de Bento XVI.

A «proximidade diária, que se prolongou durante anos, permitiu-me conhecer cada vez mais os traços característicos e aspectos singulares da personalidade do pontífice, que agora posso apreciar melhor», afirmou. Em especial, sublinhou sua «nobreza de trato» e a «simplicidade ao aproximar-se das pessoas», «junto à sua profunda e vasta cultura, não só teológica».

Citando as palavras pronunciadas por João Paulo II há 20 anos ,durante uma audiência, o cardeal Bertone reconheceu o esplêndido exemplo de participação na missão da Igreja, o confiado apoio à fé católica, a ajuda financeira e o trabalho voluntário de caridade e beneficência desempenhado pelos Cavaleiros de Colombo, que convidou a permanecerem fiéis a este espírito para levar adiante sua missão com entusiasmo e dedicação.

O purpurado concluiu com seus melhores desejos a favor da beatificação de seu fundador, o Pe. Michael McGivney, que Bento XVI declarou venerável em março passado.

Quase um mês depois do decreto de venerabilidade, em 19 de abril, por ocasião de sua viagem apostólica aos Estados Unidos, Bento XVI recordou, durante a Missa na catedral de Nova York, «as excelsas virtudes» do exemplar sacerdote norte-americano, «cuja visão e zelo apostólico levaram ao nascimento desta grande e ativa associação».