Cardeal Bertone: balanço de sete anos é positivo

Sobre as acusações sofridas: um entrelaçar-se de corvos e serpentes

Roma, (Zenit.org) Redacao | 571 visitas

O cardeal Tarcisio Bertone, durante visita à cidade de Siracusa na celebração dos 60 anos do prodígio da lacrimação de um quadro de Maria, considerou positivo o balanço do seu trabalho na Secretaria de Estado durante os últimos sete anos, de acordo com a agência de notícias Ansa. 

“Naturalmente, houve muitos problemas, especialmente nos últimos dois anos, houve acusações contra mim... Um entrelaçar-se de corvos e serpentes... Mas isto não deveria ofuscar o que eu considero um balanço positivo”, declarou, completando: “Sempre dei o máximo, mas é claro que tenho os meus defeitos, e, se tivesse que pensar agora, em certos momentos teria agido de outro modo”.

Os analistas consideram que o novo secretário de Estado, o arcebispo Pietro Parolin, que assumirá o cargo no dia 15 de outubro, terá um papel mais focado na dimensão internacional. Considera-se também que haverá mais colegialidade entre o papa e os dicastérios, sem que o secretário de Estado seja o principal vínculo de comunicação.

Bento XVI não acolheu em 2009 a primeira renúncia apresentada pelo cardeal Bertone por motivos de idade e afirmou que não queria “renunciar à preciosa colaboração” do cardeal.

Depois do vazamento de documentos sigilosos do Vaticano, o chamado caso Vatileaks, em cujos textos aparecia várias vezes o nome do secretário de Estado, o papa Ratzinger reiterou a sua confiança no secretário.